Chip desenvolvido pelos pesquisadores

Fonte: EPSRC

Engenheiros desenvolveram um novo tipo de chip que, ao ser implantado, permite que pessoas com paraplegia possam exercitar os músculos paralisados da perna. É a primeira vez que pesquisadores desenvolvem um dispositivo desse tipo, pequeno o suficiente para ser implantado no canal medular e que possui eletrodos e estimuladores de músculo em uma única unidade. O implante tem o tamanho aproximado da unha do dedo de uma criança pequena.

O projeto do Conselho de Pesquisa das Ciências Físicas e Engenharia (EPSRC) é liderado pelo professor Andreas Demosthenous, da Universidade de Londres. O projeto também inclui pesquisadores da Universidade de Freiburg e do Instituto Tyndall, de Cork.

Esquema do chip e seus componentes

Fonte: EPSRC

"A trabalho tem o potencial de estimular mais grupos de músculos do que é possível atualmente com a tecnologia existente, já que um número desses dispositivos poderia ser implantado no canal medular”, afirma Andreas Demosthenous. "Com o estímulo de mais grupos de músculos, os usuários podem executar movimentos suficientes para praticar exercícios controlados, como pedalar ou remar”.

O dispositivo também pode ser usado para favorecer uma função restauradora, como estimular os músculos da bexiga para superar problemas de incontinência e estimular nervos para melhorar a atividade intestinal e suprimir espasmos.

O time de pesquisa usou tecnologia laser de última geração para cortar eletrodos a partir de folhas de platina e agrupar todos os componentes em uma unidade tão pequena. O resultado final ficou parecido com um pequeno livro, rendendo ao chip o nome de Active Book. As “páginas” são os componentes que se fecham em volta das raízes dos nervos.

Além disso, a unidade é selada hermeticamente, para evitar a entrada de água e, por consequência, a corrosão dos componentes eletrônicos. O Active Book estará disponível para testes e estudos pilotos no ano que vem.

Cupons de desconto TecMundo: