(Fonte da imagem: ShutterStock)

Enquanto cientistas não conseguem criar a vacina contra o HIV, pesquisadores do mundo todo tentam encontrar soluções que ajudem a diminuir a taxa de novas infecções. Além dos métodos de barreira, como a camisinha, também estão sendo desenvolvidas alternativas como géis microbicidas capazes de eliminar os vírus que entrarem em contato com a mistura.

Recentemente, um novo artigo publicado na revista PLOS Pathogens traz mais esperanças a essa área, graças a um gel vaginal desenvolvido por um consórcio de pesquisadores europeus e que demonstrou ser bastante eficaz ao evitar infecções em primatas não humanos.

O que diferencia esse gel dos demais já criados é um peptídeo conhecido como “miniCD4s”, que foi desenvolvido pela mesma equipe de cientistas. Esse componente imita as características do receptor CD4 do corpo humano, usado pelo HIV para ganhar acesso ao sistema imunológico da pessoa. Assim, quando o vírus entra em contato com o peptídeo do gel, acaba sendo aniquilado.

Concepção artística de vírus lutando contra sistema imunológico (Fonte da imagem: ShutterStock)

O novo gel foi testado em modelos de proveta, com células isoladas e modelos de tecidos muito semelhantes ao das mucosas humanas, principal porta de entrada do HIV. Depois disso, os cientistas prepararam seis macacas como cobaias para o experimento, inserindo o gel em suas vaginas e, depois, uma carga bastante alta dos vírus. O resultado? Cinco dessas macacas concluíram o experimento sem contrair qualquer infecção.

O teste serve como prova de conceito e traz um pouco mais de esperanças para que produtos similares sejam desenvolvidos para seres humanos, sendo uma via promissora de prevenção.

Cupons de desconto TecMundo: