Parece que estamos um passo mais perto dos equipamentos leitores de mentes que vemos nos filmes de ficção científica. Pesquisadores da Universidade de Berkeley, na California, utilizaram computadores ligados a uma máquina de ressonância magnética para reconstruir cenas de filmes a partir das informações contidas no cérebro do ser humano.

O estudo consistiu em mostrar uma série de trailers de filmes para as cobaias (que nesse caso foram os próprios cientistas do estudo) e, então, usar os dados da atividade cerebral revelada pela ressonância para recriar as cenas.

Milhões de referências, diferentes resultados

Para gerar cada imagem, os pesquisadores “alimentaram” os computadores com 18 milhões de segundos de vídeos aleatórios do YouTube, que então identificava os 100 clipes mais parecidos com a cena que fora assistida e os combinava em uma reconstrução borrada. O resultado disso tudo pode ser visto no vídeo logo no começo da notícia.

Outra descoberta interessante feita por eles nesse estudo foi a variação das cenas geradas de acordo com cada pessoa: apesar de terem assistido aos mesmo vídeos, os resultados tiveram diferenças sutis; mas basta observar as referências utilizadas pelo computador mostradas no vídeo abaixo para perceber que essas variações foram muito maiores em certos casos.