As últimas eleições presidenciais dos Estados Unidos acabaram só recentemente, com a posse de Donald Trump, mas as especulações para o pleito de 2020 já começaram. E um nome gigante da tecnologia que teve que responder publicamente que não será candidato: ninguém menos que o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg.

Em entrevista ao Buzzfeed, Zuckerberg foi direto ao negar qualquer plano para se tornar candidato em 2020. "Estou focado em construir nossa comunidade no Facebook e em trabalhar na Chan Zuckerberg Initiative", disse o jovem executivo ao site Buzzfeed. Além da rede social, ele agora ajuda a cuidar também de uma organização destinada a pesquisa e desenvolvimento em áreas como ciências e educação ao lado da esposa, Priscilla Chan.

De onde veio isso?

Apesar de parecer bizarro ou vindo do nada, o tema "Zuckerberg na Casa Branca" estava circulando pela imprensa norte-americana nas últimas semanas com base em alguns acontecimentos. Segundo a Vanity Fair e o Los Angeles Times, o primeiro sinal veio da própria rede social: o Facebook alterou algumas políticas dos acionistas, permitindo que o CEO continuasse no controle da companhia mesmo se deixasse alguma porcentagem das ações por até dois anos para assumir algum cargo governamental.

Recentemente, parecia que ele até estava em uma prévia de candidatura

Além disso, recentemente parecia que ele até estava em uma prévia de candidatura. Zuckerberg prometeu visitar todos os estados norte-americanos que ele não conhecia, contratou um fotógrafo presidencial para fazer ensaios e também chamou um ex-gerente de campanha da Casa Branca para ajudar na fundação. Além disso, a declaração dada no final de 2016 de que "religião é algo importante" (mesmo ele sendo ateu) foi vista com desconfiança, como se ele quisesse agradar a todos de um futuro eleitorado.

Cupons de desconto TecMundo: