Se você já chegou à idade em que muitos de seus amigos começaram a usar todos os meios possíveis para arranjar um bom emprego, então é provável que a caixa de entrada do seu email esteja cheia de mensagens e convites do LinkedIn. O volume de emails enviado pela rede social é tão grande que motivou um escritório de advocacia dos EUA a abrir uma ação coletiva contra o serviço, acusando-o de enviar spam para os usuários e para seus contatos.

De acordo com informações da BBC Brasil, o problema acontece por conta do sistema de importação de conexões no LinkedIn a partir dos contatos da sua conta de email. Embora as pessoas deem seu consentimento para que a rede social envie uma mensagem convidando seus amigos para criar perfis próprios, em momento algum elas autorizam o serviço a continuar enviando emails de forma insistente.

Por esse motivo, a rede social teria firmado um acordo para encerrar o processo e se comprometeu a pagar uma indenização de US$ 13 milhões para os afetados. De forma irônica, a situação foi comunicada aos interessados por meio de um email enviado pelo LinkedIn. Vale ressaltar, no entanto, que somente quem adicionou contatos entre 17 de setembro de 2011 e 31 de outubro de 2014 têm direito de pedir uma parte do dinheiro.

Ninguém vai ficar rico

No email explicando a situação, o LinkedIn inclui o acesso a um formulário por meio do qual cada usuário afetado poderá solicitar até US$ 1,5 mil (cerca de R$ 5,81 mil na cotação atual). No entanto, como a rede social tem um total de mais de 380 milhões de usuários, a quantia final recebida por pessoa deve ser bem menor do que isso.

Segundo os termos do acordo, a empresa terá que adicionar mais US$ 750 mil ao montante a ser dividido caso o valor recebido por cada reclamante fique abaixo de US$ 10 (cerca de R$ 38,74). Ainda que o LinkedIn ressalte que muitas das “acusações eram falsas”, a empresa resolveu encerrar o caso rapidamente para poder voltar sua atenção para a melhoria do serviço para seus usuários. Desde então, a rede social atualizou suas cláusulas de privacidade.

Você recebeu o email do LinkedIn para pedir indenização pelas mensagens excessivas da rede social? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: