Tal qual a Samsung e a Sony, a LG não se contenta em produzir componentes somente para seus próprios smartphones. Diversos aparelhos de outras marcas costumam usar os painéis, baterias e outras partes fabricadas pela empresa sul-coreana, o que a ajuda a permanecer viva no mercado.

No entanto, ao contrário da Samsung, uma de suas concorrentes mais diretas, a companhia não possui muita experiência no desenvolvimento de chipsets proprietários. A última experiência desse tipo, a tecnologia Nuclun, foi criticada tanto pelo seu alto consumo energético quanto por apresentar um desempenho abaixo do oferecido por outras opções do mercado.

Dessa forma, não surge como uma grande surpresa o fato de que a LG pode ter se unido à Intel para a criação de um chipset totalmente inédito. Segundo a fonte anônima responsável pela informação, as conversas entre as duas organizações se iniciaram no começo deste ano, mas somente recentemente produziram resultados visíveis.

Essa não é a primeira vez que uma possível parceria entre as empresas é cogitada: recentemente, rumores afirmavam que o chipset Nuclun 2 havia sido adiado porque a LG queria integrar o componente de rádio XMM 7360 LTE-A da Intel. Além disso, relatos vindos da Ásia indicam que o hardware pode ser fabricado usando o modo de 14 nanômetros da gigante dos processadores para desktops.

Cupons de desconto TecMundo: