A LG já tem alguns smartphones intermediários à venda no mercado brasileiro, mas o mais interessantes deles no momento é o LG Prime Plus. Esse modelo deve apelar para o consumidor que quer fazer boas fotos e gosta de uma tela grande e brilhante. Ele também entra na classe dos “celulares feitos para tirar selfies”, com uma câmera frontal de 5 MP. O que pode pesar contra é o seu processador, que ainda é um chip 32-bit.

É inegável que processadores 64-bit entregam melhor desempenho, mas, para não deixar o preço subir muito, a LG resolveu optar por um componente mais barato. Isso comprometeu um pouco o smartphone, mas ele compensa essa perda em outros quesitos, como a qualidade das fotografias. Atualmente, é possível encontrá-lo no mercado virtual brasileiro por valores entre R$ 850 e R$ 950.

Fora isso, o que pesa a favor do Prime Plus é mesmo o seu design. A LG conseguiu construir um aparelho bonito e que passa uma sensação agradável na mão do usuário. Isso acontece porque ele tem um formato levemente curvo na traseira e também na tela. Em um primeiro momento, é difícil notar essa característica, mas logo você percebe os benefícios. A tela levemente curvada melhora o desempenho ao digitar com o Swype ou com Flow do SwiftKey. Você sente também uma diferença ao carregá-lo no bolso.

Design

Esteticamente falando, o smartphone é bonito. Ele tem detalhes bem sóbrios na carcaça e uma textura agradável na traseira. Há ainda três opções de cores: branca, preta e prata. No Brasil, por enquanto, a cor mais comum nas lojas é a branca.

Essa linguagem de design do Prime Plus foi inaugurada com o LG G3 e está presente também em outros intermediários da marca, como o LG Volt e o LG Leon. Todos são muito parecidos, mas as tampas traseiras têm características próprias em cada um deles. Vale destacar ainda os botões de energia e volume, que ficam na face de trás do celular, a marca registrada da LG.

Para o seu tamanho, o Prime Plus é leve, pesando 144 g. Não estamos falando do celular mais leve da categoria, mas a distribuição de peso na carcaça é boa. Por baixo da tampa, ele tem uma bateria removível, um espaço para cartões micro SD e dois para chips SIM.

Tela

O display desse smartphone tem várias tecnologias que a LG vem desenvolvendo e usando em diversos aparelhos, incluindo TVs e tablets. No Prime Plus, temos uma tela de 5’’ com resolução HD (720), o que resulta em uma densidade de pixels de 293 ppi. O olho humano consegue distinguir os pontos presentes na tela em até 300 ppi.

Em questão de brilho, esse display é bastante interessante. Você não terá problemas para ver o que está na tela em ambientes externos, e o controle automático de brilho funciona de forma muito eficiente. O problema é a reprodução de cores. O LG Prime Plus transforma tons naturalmente mais vivos em cores um tanto escuras, sem muita saturação.

Interface

A LG fez um bom trabalho na personalização da interface do Android Lollipop no Prime Plus. Ela ainda não está tão limpa quanto a interface original do sistema da Google, mas ficou muito mais agradável aos olhos do que já foi no passado.

A maior parte dos ícones ficou mais simples e mais plana, e o design dos softwares originais da empresa está mais sóbrio. Basicamente, podemos dizer que a LG adotou um pouco do visual do Material Design, mas ainda está muito mais apegada ao estilo “Holo”, do KitKat e do Jelly Bean. Entretanto, o conjunto da obra pode ser considerado agradável, mas ainda há espaço para melhorar. A marca poderia embarcar menos apps repetidos, por exemplo, ou permitir a desinstalação de itens como esses.

Em contrapartida, a LG investiu bastante em opções de customização, o que é sempre muito bom. É interessante notar que você consegue mudar a organização dos botões de comando (Início, Voltar e App Recentes) e pode também adicionar novos itens: um atalho para baixar a barra de notificações, um para controlar as funções dual-SIM e outro para acessar o Quick Memo. É possível ainda escolher a cor de fundo dessa barra onde ficam os botões de comando.

Desempenho

A LG resolveu embarcar no Prime Plus componentes internos mais simples para deixar o preço mais baixo. Por isso, não dá para esperar um desempenho exemplar do smartphone. Fora isso, bugs estranhos tornam o uso do aparelho bastante ruim em alguns momentos isolados.

No papel, entretanto, ele é um intermediário declarado. Temos um chip MediaTek quad-core de 1,3 GHz que pode variar para até 0,6 GHz, segundo o Antutu Benchmark 5.0. Nesses momentos de baixo clock, você pode experimentar travamentos e lentidão. Isso acontece especialmente em jogos mais pesados ou mesmo com gráficos medianos.

Títulos como Leo’s Fortune, Candy Crush Soda Saga e Riptide GP2 apresentaram alguns engasgos rápidos no Prime Plus. Depois de rodar esses games no celular, foi possível notar lentidão na interface. O dispositivo também interpretou toques na tela de forma bem errada em alguns momentos, o que acaba sendo bem irritante para o usuário.

Alguns recursos que seriam os destaques da LG para o Prime Plus, como o Knock Code e o Quick Selfie, não funcionam muito bem no dia a dia. Por exemplo, você tem que treinar bastante para conseguir desbloquear o celular de primeira com o código de toques (Knock Code) quando está na rua.

Quando você consegue escapar desses problemas, fazendo uso moderado e se limitando às funções básicas do Android, o aparelho funciona perfeitamente bem, sem engasgos ou coisas do tipo.

Benchmarks

Para a realização desta análise, submetemos o Prime Plus a cinco aplicativos de benchmark. São eles: 3D Mark (Ice Storm Unlimited), AnTuTu Benchmark 5, Basemark X, GFX Bench (T-Rex HD Off Screen e T-Rex HD On Screen) e Vellamo Mobile Benchmark (HTML 5 e Metal).

3D Mark (Ice Storm Unlimited)

O teste Ice Storm Unlimited, do 3D Mark, é utilizado para fazer comparações diretas entre processadores e GPUs. Fatores como resolução do display podem afetar o resultado final. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

AnTuTu Benchmark 5

Um dos aplicativos de benchmark mais conceituados em sua categoria, o AnTuTu Benchmark 5 faz testes de interface, CPU, GPU e memória RAM. Os resultados são somados e geram uma pontuação final. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

Basemark X

O Basemark X tem como foco principal mensurar a qualidade gráfica dos dispositivos. Baseado na engine Unity 4, o app aplica testes de alta densidade, mostrando qual dos aparelhos se sai melhor na execução de jogos. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

GFX Bench (T-Rex HD)

O GFX Bench é voltado para mensurar a qualidade gráfica. Isso inclui itens como estabilidade de desempenho, qualidade de renderização e consumo de energia. Os resultados são revelados em média de frames por segundo (fps). Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

Vellamo Mobile Benchmark

O Vellamo Mobile Benchmark aplica dois testes ao aparelho: HTML5 e Metal. No primeiro deles é avaliado o desempenho do celular no acesso direto à internet via browser. Já no teste Metal, o número final indica a performance do processador. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

Bateria

A bateria do Prime Plus tem 2.460 mAh e consegue manter o celular funcionando por um dia e meio de uso moderado ou um dia inteiro em uso intenso. Isso quer dizer que o smartphone não vai deixar você na mão no meio do dia se você conectá-lo à tomada todas as noites. Para a categoria, isso não chega a ser um problema, mas há modelos similares ou mais simples que já tiveram melhor performance em nossos testes, como Samsung Galaxy Win 2.

Em uma avaliação metódica, conseguimos drenar 100% da carga do LG Prime Plus em 5 horas completas. Isso com o brilho da tela no máximo e WiFi ativo enquanto o celular executava um vídeo em HD no YouTube. A título de curiosidade, o Galaxy Win 2, da Samsung, conseguiu 7h08 nas mesmas condições. O Moto G 2014 bateu exatamente a mesma marca do LG Prime Plus.

Câmeras

O ponto forte desse intermediário da LG é a sua capacidade de fotografar, tanto com a câmera frontal quanto com a traseira. O sensor de 8 MP da parte de trás consegue fazer boas capturas com iluminação suficiente, apresentando fotos com ótima reprodução de cor e contraste bem preciso para a categoria.

O foco móvel é um destaque que permite ao usuário fazer imagens com efeitos de profundidade de campo, por exemplo. Com pouca luz, a câmera traseira perde um pouco do desempenho, mas não dá para exigir muito de aparelhos dessa categoria durante a noite.

A câmera da frente tem foco fixo e é boa para fazer selfies. Ela tem 5 MP e tira fotos satisfatórias na maior parte do tempo. Contudo, se você estiver em alguma condição de iluminação minimamente desafiadora, as cores ficarão meio “lavadas”, e um pouco de ruído já começa a aparecer.

Contudo, a LG compensa esses problemas com vários recursos de software que deixam a experiência de fotografar com o Prime Plus mais interessante. Por exemplo, você pode “tirar fotos com gestos”: levante sua mão e faça o movimento de fechá-la. Uma contagem regressiva de três segundos começa, e a foto é capturada em seguida. Isso nem sempre funciona, entretanto, requerendo um pouco de esforço.

O software ainda oferece outras possibilidades, com HDR, temporizador, foto espelhada, Cheese Shot e vídeo em Full HD.

TV e Rádio

Para chamar mais atenção para o seu smartphone, a LG embarcou no Prime Plus as funções TV digital e rádio FM. Com isso, você consegue acompanhar a programação local mesmo sem acesso à internet.

Em nossos testes, a TV mostrou ótimo desempenho. Na região central de Curitiba, o celular encontrou mais de 10 canais digitais rapidamente, e todos eles mostraram imagens de boa qualidade. O software da TV ainda é simples de usar, com atalhos para todos os canais e gestos simples na tela. A antena é embutida no smartphone.

O app de rádio é bem simples, porém traz um visual muito bonito. Ele é também fácil de operar, e a procura por estações é feita de forma rápida e eficiente. Você consegue criar atalhos para algumas rádios e ainda pode gravar a programação.

Vale a pena?

Os principais concorrentes do Prime Plus na atualidade são o Moto G 2014 e o Lumia 640. Podemos considerar ainda boas alternativas os próprios LG Volt e LG Leon. Fora esses dois últimos, todos possuem versões com TV digital e ficam numa faixa de preço entre R$ 700 e R$ 900. Isso coloca esses smartphones na categoria dos intermediários mais premium.

O Prime Plus ganha na qualidade de suas câmeras, o Moto G 2014 tem mais espaço de armazenamento e melhor desempenho, e o Lumia 640 traz um conjunto mais equilibrado, com um SO diferente e mais estável. Nessa situação, você terá que escolher o que é mais importante para o seu dia a dia e qual design agrada mais.

O modelo da LG conta com mais funções de personalização, tem dual-chip, TV digital e rádio FM. O problema é que ele tem pouco armazenamento interno. São apenas 8 GB de espaço nativo, e só o sistema já ocupa metade disso. No fim, você tem que se virar com os 4 GB restantes.

Claro que é possível expandir isso com cartões de memória, mas a maioria dos apps para Android ainda não pode ser salva fora da memória nativa. Isso limita bastante o uso do smartphone, deixando você na mão em muitas situações. Se esse parece um grande problema para você, é melhor procurar uma opção com 16 GB ou mais.

Em contrapartida, o aparelho chama atenção pelo conjunto mais elegante, com tela levemente curvada, botões traseiros e alguns truques de software. Ele também tira ótimas fotos, se comparado com seus concorrentes. Mesmo assim, é melhor esperar o preço baixar um pouco para que o custo-benefício fique mais atraente. Se a coreana conseguir vendê-lo por uns R$ 700, o LG Prime Plus pode se tornar um intermediário de respeito. Mas, por enquanto, não vale a pena comprá-lo.

O smartphone LG Prime Plus HDTV pode ser adquirido na loja Cissa Magazine.

Cupons de desconto TecMundo: