Quando a LG anunciou o G2, no ano passado, sua intenção era apenas a de entrar na briga no disputado segmento de smartphones top de linha. Pouco menos de um ano depois, o aparelho se consolidou no mercado, tendo sido aprovado pela crítica e amplamente comercializado em muitos países.

Já com o G3, a LG muda o discurso. É hora de manter o que deu certo no LG G2, como já era de se esperar, mas também chegou a hora de a empresa brigar pelo posto de melhor aparelho da categoria. Em se tratando de especificações técnicas, há perfeitas condições para que isso aconteça.

Durante o evento de lançamento do produto, em Londres, tivemos a oportunidade de conferir de perto o aparelho durante alguns minutos. Nossas primeiras impressões sobre ele são o que você confere agora. Para mais informaações técnicas sobre o aparelho, vale a pena conferir o nosso especial "LG G3: tudo sobre".

O mesmo design, mas com novo visual

A exemplo do LG G2, o LG G3 não possui nenhum botão nas laterais. O botão principal de força está localizado na parte traseira bem como os controle de volume. Em relação ao primeiro modelo, os botões estão menos salientes e parecem ser mais rígidos, tornando mais difícil que ocorram cliques acidentais.

A tampa traseira e a bateria agora são removíveis. O acabamento é feito em plástico, mas sua textura simula metal. O trabalho de design foi bem feito e em um primeiro momento é possível até mesmo pensar que se trata de metal de verdade. As junções são sólidas e o LG G3 transmite a sensação de ser mais resistente.

Apesar do aumento no tamanho de tela, que passou de 5,2 polegadas para 5,5 polegadas, praticamente não houve aumento no tamanho do produto ou no peso. Dessa forma, mesmo com uma tela maior, o aparelho transmite uma sensação menos incômoda ao ser manuseado com apenas uma das mãos, por exemplo. 

Tela QHD: será mesmo um diferencial? 

Uma das especificações das quais a LG mais se orgulha no G3 é o fato de o aparelho ter um display com resolução de 2560x1440 pixels, o que resulta em uma densidade de pixels de 538 ppi. Numericamente, trata-se do aparelho com a resolução mais alta disponível no mercado na atualidade. 

Entretanto, na prática, essa diferença não é tão gritante assim. Quando colocado lado a lado com o G2, por exemplo, aparelho que conta com uma tela competente, o LG G3 não salta aos olhos como você poderia imaginar. Em um uso cotidiano, a diferença é perceptível, mas é pequena.

O momento em que essa diferença é mais notada é quando nos aproximamos bastante da tela. Enquanto no LG G2 você consegue ver os pixels, no LG G3 a tela parece ser praticamente uniforme, o que dá uma sensação agradável de maior qualidade.

Câmera, desempenho e interface 

Infelizmente não tivemos a oportunidade de comparar o resultado final das imagens capturadas com o LG G3 em nossos primeiros testes com as tiradas por outros aparelhos. Contudo, o foco laser introduzido no aparelho se mostra eficaz no tempo de resposta ao toque na tela.

Nunca foi possível focar e tirar fotos tão rápido quanto o que conseguimos no LG G3. A qualidade final das imagens parece estar consideravelmente melhor do que a qualidade das imagens capturadas com o LG G2. Entretanto, vale a ressalva que vimos as imagens apenas na tela do smartphone, que graças à sua tela faz com que tudo pareça ainda mais bonito.

No ambiente de demonstração disponibilizado pela LG não havia acesso a internet, de forma que não foi possível conferir o desempenho do aparelho com aplicativos baixados. A transição entre é apps é suave, como já era de se esperar em um aparelho com processador Snapdragon 801 e 3 GB de RAM.

O LG G3 apresenta também uma interface redesenhada, mais minimalista e limpa, seguindo uma tendência moderna apresentada pelos fabricantes. O resultado é agradável e o consumo de RAM parece ser muito próximo ao do Android puro. 

O LG G3 vai valer a pena?

Ainda é cedo para fazer qualquer tipo de afirmação sobre a relação custo-benefício do LG G3. Inicialmente, sabe-se que nos Estados Unidos o aparelho deve chegar às lojas com o mesmo preço de lançamento do LG G2, cerca de US$ 700.

No Brasil o lançamento deve acontecer somente depois da Copa do Mundo, mas o preço final não foi definido. Apostamos que ele deva ser lançado por um valor entre R$ 2.299 e R$ 2.599. Como sempre, os preços de lançamento tendem a cair rapidamente, de forma que é possível esperar um LG G3 no Brasil no mesmo valor dos concorrentes Sony Xperia Z2 e Samsung Galaxy S5.

Em termos visuais, não há diferenças significativas, mas o acabamento final do LG G3 é mais elegante e transmite uma sensação maior de resistência. Em termos de desempenho, o produto não deve deixar a desejar em nenhum momento. A nova interface se mostra leve e impacta positivamente no consumo de RAM.

Obviamente, precisamos analisar o aparelho com um pouco mais de tempo, mas em um primeiro momento a tela QHD, embora tenha nitidamente melhor qualidade, não parece ser um diferencial que justifique as apostas da empresa. Por outro lado, o recurso de foco a laser implantado pela empresa transformaram a câmera traseira do LG G3 na mais rápida do mercado, sem sombra de dúvidas. 

Claramente a LG optou por seguir a linha de trabalho adotada no LG G2, que deu bons resultados, e apenas atualizar o hardware em praticamente todos os itens. Para quem procura recursos inovadores, a notícia mais interessante está mesmo no foco da câmera, o que pode parecer pouco.

Entretanto, se a sua preocupação maior é a de ter um produto competente em suas mãos, saiba que certamente a LG deve disputar o título de melhor smartphone do mercado com os seus concorrentes, tendo grandes possibilidades de se sair vencedora, algo que descobriremos somente com a análise final do produto.

O TecMundo viajou a Londres, na Inglaterra, a convite da LG.

Cupons de desconto TecMundo: