Você pode até ter dado uma risadinha com o trocadilho no título desta notícia, mas é pouco provável que os executivos da Lenovo estejam achando graça dessa situação. Pela quarta vez em um curto intervalo de tempo, a companhia está sendo acusada de comercializar computadores com graves falhas de segurança que podem comprometer a privacidade de seus usuários.

A alegação partiu do pesquisador Dymtro Oleksiuk, mais conhecido pelo pseudônimo “Cr4sh”. O especialista percebeu que várias máquinas da marca saem de fábrica com um firmware defeituoso da Intel que permite a um cracker passar pelos protocolos de segurança básicos do Windows. Embora tenha citado a Lenovo em seu relatório, Oleksiuk afirma que outras marcas podem estar sofrendo com a mesma brecha — incluindo a HP.

Já a Lenovo resolveu publicar um comunicado oficial dizendo que já está investigando o problema e informando também que o erro advém de um código provido pela própria Intel, embora não tenha colocado a culpa na fabricante de semicondutores. Há teorias também de que a Lenovo tenha deixado a brecha lá de propósito, como um backdoor, para que ela (ou terceiros) tivessem livre acesso às informações de seus consumidores.

PCs da marca estariam vulneráveis a ataques hacker

A primeira vez que a Lenovo foi acusada de ter pouco cuidado com o fator segurança em seus produtos foi em fevereiro de 2015, quando foram detectados adwares em PCs da marca. Em maio do mesmo ano, a IOActive encontrou mais uma brecha semelhante. Por fim, em agosto de 2015, a empresa foi acusada de usar bloatwares (programas que se reinstalam sozinhos) em alguns desktops e notebooks.

Cupons de desconto TecMundo: