Você sabe que já está vivendo no futuro quando se depara com novidades que até há pouco tempo eram coisas de filme. Alterar a iluminação de uma sala com poucos movimentos já é muito mais simples do que você pode imaginar.

A Philips está trazendo para o Brasil a sua nova linha de lâmpadas inteligentes. A família é composta por uma série de modelos diferentes, mas aquele que está desembarcando por aqui é a linha hue.

Hue, em português, significa matiz, que nada mais é que os diferentes tons de uma mesma cor. O nome é bem sugestivo, uma vez que cada uma das lâmpadas inteligentes da Philips pode ter até 16 milhões de tonalidades de cor diferentes, permitindo um controle preciso da luminosidade.

Tudo isso é feito através de um aplicativo no smartphone ou de um computador conectado na internet. É possível escolher efeitos predeterminados com base em cenários: que tal deixar a sua sala com uma iluminação que lembre a luz do luar em uma praia? Ou talvez você prefira regular a intensidade da iluminação para aproveitar melhor a leitura.

Design simples mas de bom gosto

O kit que recebemos da Philips é bem completo. São três lâmpadas hue e uma base de controle que deve ser conectada na sua rede de dados. Uma única lâmpada dessas é quase idêntica a uma lâmpada tradicional — daquelas incandescentes —, com a diferença de que essa é bem mais pesada.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

O responsável por esse peso extra é o dissipador de calor, que ocupa quase todo o corpo do objeto, além do circuito projetado para o controle dos LEDs encontrados dentro das lâmpadas e o módulo de comunicação para controle remoto. A parte de cima é uma cúpula de vidro translúcido e fosco que serve como um difusor para espalhar por igual a luz projetada pelos LEDs.

A parte boa é que não é preciso ter uma instalação elétrica especial para a ligação dessas lâmpadas. Tudo o que você precisa é um soquete tradicional. Basta rosquear a lâmpada no bocal, ativar o centro do controle e pronto.

O dissipador esquenta bastante depois de um tempo, mas nada muito além do que uma lâmpada incandescente tradicional. Deste modo, não é preciso se preocupar com adaptações na instalação elétrica.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Em termos de durabilidade, a Philips estima que essas lâmpadas têm uma vida útil de cerca de 15 mil horas, ou seja, muito acima das mil horas oferecidas por uma lâmpada de 40 W tradicional.

Além do mais, os LEDs são muito mais eficientes energeticamente falando: cada uma dessas lâmpadas consome apenas 8,5 W de energia; isso para fornecer praticamente a mesma luminosidade de uma lâmpada incandescente de 50 W.

O hub de luzes — ou ponte de conexão — que recebemos junto com as lâmpadas é o responsável por gerenciar o sistema. Essa peça dever ser conectada à rede de dados através de um cabo ethernet tradicional e serve para fazer a ponte entre o aplicativo para smartphone e as lâmpadas.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Uma única ponte pode acomodar e controlar até 50 lâmpadas individuais, ou seja, depois de comprar o kit inicial com três lâmpadas, é possível adquirir novas luzes separadamente.

O visual é minimalista, discreto e elegante. Contudo, ele não precisa ficar à mostra para funcionar. Se você quiser, pode muito bem esconder a peça atrás de algum móvel, já que ela está conectado à rede através de um cabo.

Como funciona o sistema de iluminação hue?

Uma das principais vantagens do hue é que o sistema não é apenas decorativo. Ele pode substituir as lâmpadas tradicionais facilmente: como dissemos anteriormente, uma única lâmpada dessas pode apresentar a mesma luminosidade que uma luz incandescente de 50 W. Sabendo disso, podemos imaginar que um kit como esse — que contém três lâmpadas — pode iluminar razoavelmente bem uma sala pequena ou de tamanho médio.

O funcionamento do sistema é simples mas inteligente: você conecta a lâmpada à rede elétrica e conecta a ponte à sua rede de dados. Feito isso, basta instalar o aplicativo que pode ser baixado gratuitamente na AppStore ou na Google Play.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Configurar o hue é incrivelmente simples, principalmente porque o aplicativo faz praticamente tudo sozinho. O máximo de esforço que você precisa fazer para configurar o sistema é pressionar o botão na base da ponte e aguardar até que ele encontre as lâmpadas. Depois disso é só começar a trabalhar com as luzes.

Uma lâmpada dessas possui LEDs multicoloridos em seu interior. Para alterar as cores, o circuito controla a intensidade de cada um dos LEDs, o que possibilita que cada uma das luzes possa ter até 16 milhões de cores.

A ponte recebe os comandos do smartphone através da rede de dados via cabo de rede, interpreta as informações e as repassa para o roteador WiFi, que envia os dados até os bulbos.

Software de gerenciamento

O software de gerenciamento das lâmpadas é relativamente simples de entender. A primeira vez que ele é executado, um guia passo a passo mostra as funções básicas para entender o programa — tudo em português e muito bem ilustrado, então não tem como não compreender como tudo funciona.

Quando entramos na interface do programa, temos diversas seções, organizadas em um menu no canto superior esquerdo da tela. Ali é possível acessar as cenas, o controle de luz e a visão geral da luz.

(Fonte da imagem: Reprodução/Philips)

O item “Cenas” é o mais simples. Nessa configuração encontramos diversas imagens diferentes, cada uma com um esquema de luzes predefinido que, ao ser selecionado, imita o cenário em questão — pode ser um pôr do sol, o fundo do mar ou uma sessão de relaxamento ou leitura.

A parte legal é que também é possível compor novos cenários com base em fotografias — batidas na hora ou retiradas da biblioteca do telefone. Depois de selecionar a imagem, baste selecionar os pontos de luz: o posicionamento dos focos identificará a cor que será reproduzida pelas lâmpadas.

 

A opção “Controle de luz” permite que você escolha livremente a tonalidade de cor de cada uma das luzes. Basta movimentar o marcador pela paleta de cores para iluminar o seu ambiente como quiser.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Outro destaque do software é a programação por horários e localização. Que tal ativar as luzes da casa automaticamente às nove horas da noite toda terça, toda quarta e todo sábado? O sistema da Philips permite que isso seja feito com facilidade, seja em horários fixos ou em horários quebrados — para ajudar a garantir a segurança da sua casa.

O sistema também oferece um esquema de ativação/desligamento das luzes por geolocalização. Você configura o seu smartphone para ativar as luzes sempre que você entrar na área de cobertura do sistema. Ao sair de casa, elas se apagam sozinhas.

Para completar, também existe a possibilidade de controle via internet. Para fazer isso, basta acessar o portal hue, no site da Philips, criar uma conta e conectar a sua ponte ao serviço. Isso permite que você gerencie as luzes a partir de qualquer lugar através da internet.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Nós testamos todos esses recursos e funções e eles funcionaram como o prometido. Tudo é mesmo muito fácil de configurar.

ZigBee

As lâmpadas hue são compatíveis com o protocolo ZigBee, um sistema de interoperabilidade de iluminação. O recurso permite o controle da iluminação via dispositivos sem fio de diversos fabricantes.

Uma das principais vantagens disso é que as lâmpadas hue poderão ser controladas através de outros dispositivos compatíveis com o ZigBee, aproveitando as principais vantagens do formato: facilidade, simplicidade e configuração intuitiva.

Vale a pena?

Você precisa de um sistema de iluminação personalizado e que muda de cor? Há grandes chances de a resposta ser negativa. Entretanto, o sistema da Philips é tão intuitivo e possui tantos recursos que invariavelmente esse tipo de produto acaba se tornando quase uma necessidade assim que você tem o primeiro contato com ele.

Não se trata apenas da cor da iluminação, mas poder controlar as luzes a partir de vários lugares é realmente interessante. Quem nunca esqueceu a luz acesa ao sair de casa ou viajou e lembrou que precisava ter deixado a luz da sala acesa para afugentar assaltantes?

(Fonte da imagem: Tecmundo)

O sistema da Philips também apresenta um ponto interessante, que é a economia de luz. Tradicionalmente, lâmpadas de LED são mais caras que as normais, mas esse preço acaba sendo diluído em dois pontos: o primeiro é a durabilidade, que é muito maior, e o segundo é o consumo energético, muito menor nesse caso.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

O preço desse produto é um pouco alto se comparado com o das lâmpadas comuns: o kit “Starter Pack” com três lâmpadas e a ponte de controle pode ser adquirido por R$ 1.299. Já as lâmpadas avulsas podem ser adquiridas por R$ 269. Entretanto, se comparados esse preço com outros objetos de decoração, vemos que o valor não foge muito da categoria.

Quem procura um sistema de iluminação personalizado certamente vai gostar do conjunto hue da Philips. O resultado é excelente e poder controlar a iluminação do ambiente pelo smartphone é um recurso pra lá de interessante: você realmente vai se sentir no futuro. 

Este produto foi cedido para análise pela Philips.