Ampliar (Fonte da imagem: Divulgação/Gradiente)


Já estamos tão acostumados a ver a Apple no papel de acusação nas disputas judiciais envolvendo a patente do iPhone que chega a ser estranho encará-la do outro lado da questão. No entanto, foi isso o que aconteceu após a Gradiente mostrar ao mundo que era detentora do nome “iPhone” no Brasil antes mesmo do lançamento do famoso smartphone da concorrente.

E o mais irônico de tudo é que a companhia brasileira está disposta a vender a marca para a Apple, conforme explicou o presidente da IGB, Eugenio Emilio Staub, ao site Bloomberg. Segundo ele, sua empresa está aberta a todo tipo de diálogo e ela não será radical quanto ao uso do nome. Porém, Staub conta que, até o momento, a multinacional não entrou em contato para resolver a questão.

Próximos capítulos

Para quem está esperando os novos capítulos desta novela, saiba que teremos um parecer oficial do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) sendo divulgado entre os próximos dias 13 e 15 de fevereiro. Isso porque a Apple entrou com um pedido no órgão para manter o uso da marca no país, algo que vem sendo feito desde 2007, quando o iPhone original foi lançado, e a decisão só será revelada nessas datas por conta de problemas técnicos que atrasaram a publicação oficial.

No entanto, como explica o jornal Folha de São Paulo, a requisição pode ser negada devido à impossibilidade de manter dois registros homônimos na mesma categoria de produto no país. Portanto, resta apenas saber o que a Apple vai fazer: abrir mão do já tradicional “iPhone” ou negociar de uma vez com a Gradiente — algo que só descobriremos futuramente.

Cupons de desconto TecMundo: