Imagine você caminhando pelas ruas e recebendo informações integradas em tempo real via óculos inteligentes ou simplesmente pelas lentes de seu iPhone. Esse é um futuro que parece estar mais próximo do que muita gente imagina. Segundo várias fontes ligadas à linha de produção, a Apple vem investindo pesado em Realidade Aumentada (ou Augmented Reality - AR), que em breve estará presente nas câmeras de seus smartphones.

Assim como a Realidade Virtual (ou Virtual Reality - VR), a AR tem sido assunto recorrente quando se fala sobre tendências de mercado. A tecnologia já vinha sendo aproveitada de forma tímida — porém, bem-sucedida — em aplicativos como Photo Booth e Snapchat e ampliou suas funcionalidades e uso prático massivo com o jogo Pokémon GO e as lentes inteligentes HoloLens, da Microsoft.

De acordo com o Business Insider, equipes na Apple já vêm trabalhando em silêncio, tanto nas linhas de AR quanto de VR, há algum tempo. De 2013 para cá, a Maçã adquiriu startups ligadas ao setor, como a israelense PrimeTech, especializada em sensores; e a Metaio, criadora do Junaio, app de AR para dispositivos móveis.

Os desafios da Maçã para AR

Para que você possa, por exemplo, saber de mais detalhes sobre uma camiseta — seu preço, diferentes cores e tamanhos — somente mirando a câmera de seu iPhone para o produto dentro de uma loja, o dispositivo precisa reconhecer objetos tridimensionais. E isso é um dos maiores desafios atualmente para a Apple.

A companhia vem contratando profissionais que já trabalharam com a HoloLens e grupos como o FlyBy Media, que desenvolve projetos de redes sociais e integração entre meios físicos e digitais por meio de AR. A ideia é mapear objetos em 3D, identificá-los e transformá-los em uma crescente rede de dados em tempo real.

Smartglasses R-7, da Osterhout Design Group

O passo seguinte seria dar suporte para desenvolvedores criarem softwares específicos para essa nova tecnologia. Essa é uma estratégia comum — aconteceu recentemente com o sensor de digitais Touch ID — e é essencial para que a novidade tenha vida longa. Afinal de contas, quem quer usar algo que oferece poucos serviços e opções?

Óculos também são bem-vindos

Ao que parece, o mercado vem digerindo melhor as falhas que ocorreram com o Google Glass, óculos que chegaram a ser comercializados em larga escala em 2014, mas fracassaram e voltaram para o laboratório. Os avanços foram grandes e a maneira de usar está mais alinhada com a vontade dos consumidores. De acordo com o Bloomberg, a Apple quer suas próprias lentes inteligentes estilizadas para parear com o iPhone em prol da AR.

John Border, engenheiro especialista em fabricação de itens óticos, trabalhou como chefe no Osterhout Design Group, uma pequena empresa de São Francisco que criou os smartglasses R-7, capazes de sobrepor gráficos de alta definição a objetos reais em displays ultra transparentes.

Ele é quem está à frente da vinda dos óculos da Apple dedicados à AR, algo que poderia estar nas prateleiras por volta de 2018. Como a companhia provavelmente já vai lançar suporte para AR na próxima versão do sistema operacional móvel iOS, ela teria um ano para fazer ajustes antes do lançamento do gadget.

E você, o que acha? Está pronto para a invasão da AR e do VR? Estamos ansiosos para ver no que vai dar essa história.

Cupons de desconto TecMundo: