A Apple acaba de se tornar alvo de um processo bilionário dos mais bizarros envolvendo sua famosa linha de smartphones. O caso da vez surgiu com uma ação judicial feita por Thomas S. Ross, um residente da Flórida, nos EUA, que alegou que a empresa estaria infringindo os direitos de uma invenção feita por ele em 1992.

Em sua ação, Thomas afirma que a empresa teria roubado a ideia de uma de suas invenções, patenteada como ERB (sigla para “Dispositivo Eletrônico de Leitura”), na criação dos iPhones e, eventualmente, dos iPods e iPads. O aparelho consistia em um leitor de mídia com um visual relativamente parecido com nossos smartphones atuais, com uma enorme tela na frente e apenas alguns botões pequenos na parte de baixo, sendo pequeno o suficiente para caber na palma de sua mão.

Confira a galeria abaixo para ver as imagens do projeto feito por ele:

Segundo o site The Telegraph, Ross pediu uma compensação de nada menos do que 10 bilhões de dólares (o equivalente a 33 bilhões de reais). Além disso, ele também quer receber royalties de 1,5% das vendas futuras do aparelho – o que pode resultar em lucros de 3,5 bilhões de dólares ao ano para o inventor.

Uma invenção que nunca viu a luz do dia

Por mais que realmente hajam certas semelhanças na invenção em comparação aos celulares atuais (embora ele se pareça mais com os Kindles clássicos), Ross só tem um pequeno probleminha para provar tudo isso: suas patentes nunca foram aprovadas. O fato é que ele simplesmente não pagou as taxas necessárias para isso, o que fez com que seu pedido fosse dado como abandonado em 1995.

Pesquisa TecMundo 2016: nós queremos a sua opinião. Participe!

Isso não impediu Thomas de prosseguir com sua ideia, entretanto. Assim, ele adicionou seus desenhos originais ao processo como prova de sua tese, pedindo que seja feito um julgamento com júri para o caso. Resta agora esperar para ver o resultado, mas fica difícil acreditar que ele tem chances de ganhar sendo que nenhuma de suas invenções chegou nem mesmo a sair do papel.

Cupons de desconto TecMundo: