Junto com o anúncio do iPhone SE nesta segunda-feira (21), a Apple também liberou o preço do dispositivo em algumas regiões — e essa informação já deixou muita gente com medo do que pode acontecer por aqui.

Nos Estados Unidos, o modelo sai por US$ 399 e US$ 499 nas versões de 16 GB e 64 GB, respectivamente. Na Europa, o iPhone SE foi anunciado com os valores de 490 € e 590 € — que são maiores em número e ficam ainda mais expressivos se convertidos para outra cotação, como a do real. Em conversão direta para o dólar, o modelo com menor armazenamento ficou 40% mais caro, enquanto o com espaço adicional tem o preço 33% maior.

Esse valor aumentado na Europa já inclui uma taxa que nos Estados Unidos ainda não foi aplicada e pode chegar a até 8% a mais do valor total do aparelho. Porém, na Europa, a quantidade de impostos varia bastante entre os países, o que significa que um iPhone SE na Hungria pode sair ainda mais caro do que na Alemanha, por exemplo. É curioso notar, entretanto, que a Samsung não realiza esse encarecimento: o Galaxy S7 chegou por US$ 700 nos EUA e 700 € na Europa.

E por aqui?

Essa má notícia já estremece os consumidores brasileiros, já que a Apple também possui uma política de disparar os valores dos aparelhos por aqui. Vale lembrar que o país é quase sempre o "vencedor" no ranking de iPhone mais caro do mundo há algumas gerações. Por enquanto, ainda não existem detalhes sobre o valor nacional, mas fique de olho no TecMundo para mais novidades.

O que você achou do novo iPhone SE da Apple? Acredita que esse smartphone vai vingar no mercado? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: