Aparentemente ciente de que o espaço de 16 GB é pouco adaptado à realidade atual do mundo mobile, a Apple pode abandonar essa opção no iPhone 7. Relatos indicam que não somente o modelo básico do novo dispositivo deve ter 32 GB de armazenamento como ele deve surgir em uma variação com generosos 256 GB.

Segundo o DigiTimes, a pressão exercida pela empresa em seus fornecedores está causando um aumento no preço das memórias NAND conforme as empresas da área falham em cumprir suas demandas. O valor cobrado deve permanecer alto durante um tempo razoável caso o smartphone se prove um sucesso, mas pode cair rapidamente se isso não chegar a acontecer.

A Samsung e a SK Hynix estão entre os maiores fornecedores da área que decidiram aumentar seus preços devido à incapacidade de corresponder às demandas da Apple. Embora essa acabe sendo uma boa notícia para os fãs do iPhone que esperam um aparelho com mais espaço, a situação não é tão positiva para o mercado Android — com a companhia da Maçã “engolindo” esse espaço, deve demorar um pouco até que um produto baseado no sistema da Google surja com 256 GB de espaço interno.

Outro fator que está afetando o preço das memórias NAND é o aumento da demanda do mercado de SSDs voltados a notebooks graças ao início do período de volta às aulas no hemisfério norte. No entanto, não é possível subestimar a influência da Apple que, em 2015, foi responsável por comprar 15% do estoque mundial de chips com a tecnologia.

Cupons de desconto TecMundo: