Marc Rogers, uma das pessoas que conseguiram hackear o touch ID do iPhone 5S está de volta, para mostrar que, mesmo que o scanner de impressão digital do iPhone 6 e iPhone 6 Plus tenha melhorado, ainda sim é possível burlar o sistema de segurança da Apple.

Rogers criou impressões digitais falsas usando a mesma técnica aplicada no dispositivo da geração anterior, testando-as no scanner de impressão digital dos novos iPhones. Resultado: as impressões falsas conseguiram enganar o sensor e desbloquear o dispositivo. Mas há um porém: o trabalho tem que ser de grande qualidade.

Trabalho minucioso

De acordo com Rogers, um dos sinais que a Apple melhorou o Touch iD é o fato de que algumas impressões digitais que enganaram o iPhone 5S não obtiveram sucesso no iPhone 6.

"Para enganar o iPhone 6, você precisa ter certeza de que sua impressão digital clonada é bem nítida, com as proporções corretas, posicionada com perfeição, e grossa o suficiente para simular sua impressão digital real”.

Difícil para criminosos

Roger afirma que este trabalho não é difícil para um pesquisador dentro de um laboratório, mas que será bem mais complexo para um criminoso, que terá que capturar a impressão digital e criar uma cópia falsa bastante fiel para enganar o sensor da Apple.

Para Marc Rogers, o Touch ID é um controle de segurança eficaz, mas a Apple deveria ter dado mais atenção para o recurso, principalmente porque agora ele será usado para proteger transações de pagamento.

Cupons de desconto TecMundo: