Seguindo uma ação que começou em alguns mercados asiáticos, a Apple deve lançar em breve no Brasil o “iPhone 6 recauchutado” – uma nova versão do aparelho que a empresa colocou no mercado originalmente em 2014. A única diferença entre esse “novo” smartphone e a sua primeira versão será o armazenamento.

Em vez de vender o celular com os originais 16, 64 e 128 GB de armazenamento, a Maçã pretenderia disponibilizar apenas a opção de 32 GB, que agora é o mínimo oferecido pela marca em seus aparelhos mobile. O iPhone 6 original saiu de linha em setembro do ano passado, quando fez dois anos de mercado.

É possível que a empresa tenha reciclado unidades recompradas de consumidores que trocaram por modelos mais novos

Não sabemos a origem desses produtos, mas é possível que a empresa tenha reciclado unidades recompradas de consumidores que trocaram seus aparelhos antigos por modelos mais novos. É possível também que pontas de estoque tenham sido aproveitadas. Existe também a possibilidade de a empresa estar fabricando esses dispositivos do zero, mas não há confirmação acerca de nenhuma das hipóteses no momento. Portanto, estamos apenas especulando.

Essa versão de 32 GB do iPhone 6 já começou a ser vendida por preços inferiores aos do iPhone SE em mercados asiáticos, sendo que alguns países só receberam o modelo na cor dourada. A chegada do iPhone recauchutado ao Brasil foi relatada inicialmente por um leitor do MacMagazine, que enviou fotos da versão cinza espacial para a publicação.

Note que a unidade vem com o carregador brasileiro, documentação em português e também com o selo da Anatel. Portanto, não há dúvidas de que se trata de uma versão nacional do dispositivo.

O curioso é que esse iPhone 6 não deve ser vendido diretamente pela Apple, mas sim por suas parceiras, como operadoras e grandes lojas do varejo nacional. Estratégia similar vem sendo praticada na Ásia. Espera-se que o smartphone seja "barato", para recuperar a moribunda participação de mercado da Apple no Brasil, custando algo entre R$ 1,8 mil e R$ 2,5 mil. Seja como for, ainda não há qualquer informação sobre quando o celular de fato estará no mercado.