O mês de outubro está quase acabando e a Apple finalmente revelou quais são as suas apostas para o mercado de tablets no final deste ano. Quem esperava por duas grandes revelações ficou feliz quando Tim Cook (o CEO da empresa de Cupertino) mostrou que tanto o iPad 4 quanto o iPad mini teriam novas versões. E ainda mais empolgado quando ele mostrou que o poder deles é realmente interessante.

Esqueça o design dos primeiros iPads que você conhecia (os modelos de 9,7 polegadas), pois agora o layout deles é completamente inspirado no dos iPads mini — sim, isso também é válido para a versão maior dos tablets. Gostou de saber disso? Então você precisa conferir todas as novidades que fazem parte dos novos aparelhos que farão a cabeça dos consumidores nas compras de Natal.

iPad Air: o novo carro-chefe

A grande diferença do iPad Air está no design apresentado pelo aparelho. Em vez do layout que já vinha sendo utilizado há alguns anos, agora o tablet possui um desenho muito mais parecido com o apresentado pelos iPads mini — com molduras mais simples e ocupando menos espaço no total. E isso reflete diretamente nas dimensões e no peso dos novos dispositivos.

(Fonte da imagem: Divulgação/Apple)

Mesmo mantendo as mesmas 9,7 polegadas, ele perdeu 43% do tamanho nas molduras e quase 200 gramas no peso total. Isso também é fruto da menor espessura, que baixou de 9,4 milímetros para 7,5 milímetros — uma redução considerável e que merece destaque. Além disso, também vieram novidades bem interessantes no hardware dos dispositivos anunciados.

Apple A7: até 8 vezes mais veloz

Tim Cook revelou, com orgulho, um detalhe bem importante sobre os novos aparelhos. Os iPads Air vão contar com o processador Apple A7 — que são acompanhados de um coprocessador de movimentos M7 similar ao existente nos iPhones 5S. Segundo a fabricante dos tablets, isso deve resultar em processamento até oito vezes mais rápido do que o presente no iPad original e 72 vezes mais desempenho gráfico — dobrando os resultados do iPad 4.

(Fonte da imagem: Divulgação/Apple)

Os outros recursos de hardware não são muito diferentes dos que estavam presentes na geração anterior. O iPad Air chegará às lojas com a mesmas câmeras iSight de 5 megapixels (capazes de capturar vídeos em resolução HD 720p) e FaceTime para transmissão em 1080p. A bateria não teve especificações detalhadas até o momento, mas já foi confirmado que ela oferecerá autonomia de até 10 horas de utilização contínua.

Quanto custa o iPad Air?

Assim como acontece com as gerações anteriores, os preços cobrados pelos novos aparelhos vão variar de acordo com a capacidade de armazenamento e com a conectividade oferecida. Nos Estados Unidos, o iPad Air chegará às lojas pelos seguintes preços:

  • WiFi (16 GB): US$ 499
  • WiFi (32 GB): US$ 599
  • WiFi (64 GB): US$ 699
  • WiFi (128 GB): US$ 799
  • WiFi + 4G (16 GB): US$ 629
  • WiFi + 4G (32 GB): US$ 729
  • WiFi + 4G (64 GB): US$ 829
  • WiFi + 4G (128 GB): US$ 929

iPad mini: agora com Retina Display

(Fonte da imagem: Divulgação/Apple)

iPad mini: agora com Retina Display

Enquanto o design do iPad “grande” foi remodelado para ficar igual ao do “irmão caçula”, o iPad mini continuou com os mesmos traços que conquistaram milhões de consumidores ao redor de todo o mundo. Mas se o design não mudou, qual seria a vantagem em adquirir um iPad mini da nova geração? A resposta é bem simples: ele não é mais uma versão defasada dos tablets da Apple.

(Fonte da imagem: Divulgação/Apple)

O primeiro iPad mini chegou ao mercado com hardware similar ao presente no iPad 2 — em um período em que já estávamos na quarta geração do tablet —, mas agora ele é similar à geração atual dos aparelhos de 9,7 polegadas, mesmo com apenas 7,9 polegas. E isso vale para praticamente todos os recursos presentes no interior dos dispositivos. Até mesmo para a tela, que passa a contar com a qualidade Retina Display.

Muito mais desempenho

Antes dos novos anúncios, as diferenças gráficas entre iPad e iPad mini eram gritantes. O aparelho principal contava com resolução de 2048x1536 pixels, enquanto o menor oferecia apenas 1024x768 pixels para os consumidores. E o processador gráfico do tablet mini também era bem inferior ao presente na versão de 9,7 polegadas. (Fonte da imagem: Divulgação/Apple)

Agora, a história está bem diferente. Os dois modelos (Air e mini) possuem a mesma resolução Retina (2048x1536 pixels) e o mesmo processador Apple A7 com coprocessador de movimento M7 — na versão mini, a Apple promete quatro vezes mais desempenho na CPU e oito vezes melhor performance gráfica em comparação com a geração anterior. A única diferença passa a ser o tamanho da tela que está presente em cada uma das versões.

Os outros recursos de hardware também são iguais aos presentes no iPad Air. São as mesmas câmeras, os mesmos sensores e opções de conectividade. O já citado processador Apple A7 com coprocessador de movimento M7 deve garantir também que todos os apps executados no iPad Air possam ser utilizados na nova geração dos iPads mini.

Quanto custa o iPad mini com Retina Display?

Também como acontece com o iPad Air, os preços cobrados pelos novos aparelhos vão variar de acordo com a capacidade de armazenamento e com a conectividade oferecida. Nos Estados Unidos, o iPad mini com Retina Display chegará às lojas pelos seguintes preços:

  • WiFi (16 GB): US$ 399
  • WiFi (32 GB): US$ 499
  • WiFi (64 GB): US$ 599
  • WiFi (128 GB): US$ 699
  • WiFi + 4G (16 GB): US$ 529
  • WiFi + 4G (32 GB): US$ 629
  • WiFi + 4G (64 GB): US$ 729
  • WiFi + 4G (128 GB): US$ 829

.....

Como você pode ver, a Apple aproximou — e muito — os iPads mini e os iPads Air. Não fossem as duas polegadas de diferença, seriam praticamente imperceptíveis as diferenças entre os dois modelos. O que você pensa sobre essa proximidade dos tablets? 

Cupons de desconto TecMundo: