Segundo o site 9to5Mac, a Apple está trabalhando em uma nova iniciativa para o iOS chamada Proactive. Basicamente, se trata da tentativa da empresa da Maçã em emular as funções do Google Now, que traz informações oportunas baseado nos dados do usuário e na forma como ele utiliza o celular.

No caso, o Proactive faria isso integrando a Siri, os contatos, calendário, mapas, Passbook e aplicativo de terceiros em um serviço que seria uma evolução natural do recurso de busca Spotlight.

Os fundamentos do Proactive começaram em 2013, com a aquisição de um app de assistente pessoal chamado Cue. O intuito foi o de ampliar o leque das buscas do Spotlight e do Safari. O fato de eles já trazerem também os resultados do Wikipédia já é um fruto do Proactive e foi algo em parte criado para a Apple depender menos do Google.

Proatividade

Segundo o site, a Apple quer levar o Proactive para um novo nível e pode mostrar isso durante a WWDC, conferência de desenvolvedores das plataformas da Maçã, quando vai apresentar o iOS 9. O recurso vai ficar à esquerda da primeira tela de aplicativos, onde ficava o Spotlight antes do iOS 7.

Na tela do Proactive, haverá um campo de busca no topo e o restante do display será preenchido por conteúdos baseados em três elementos-chave: aplicativos, contatos e mapas, expandindo as funcionalidades de assistente pessoal já prestadas pela Siri.

O site 9to5Mac dá como exemplo um usuário que tem um voo marcado no calendário e uma passagem no Passbook. Nesse caso, uma bolha vai aparecer quando chegar próximo do horário de embarcar. Se há um compromisso cadastrado, vai aparecer um mapa com estimativa de tempo, direção e o horário em que se deve sair com base no nível de congestionamento.

Antecipando-se ao usuário

O Proactive também vai se integrar com os aplicativos mais usados. Se o usuário abre o Facebook todo dia mais ou menos no mesmo horário, um botão para o app aparece. Isso também é válido para ligações telefônicas.

Por fim, o recurso pode dar sugestões de restaurante em horas usuais de refeição, tudo baseado na localização do usuário. Algumas dessas funcionalidades vêm do Spotsetter, companhia que criou um mecanismo de busca social e foi fundada por Stephen Tse e Jonny Lee, ex-engenheiros do Google Maps. A empresa, claro, foi comprada pela Apple.

O aplicativo de mapas também será mudado pela iniciativa Proactive. Além de haver um novo serviço de rotas de ônibus, trem e metrô, o sistema de pontos de interesse está sendo refeito. Em torno desse recurso estão funcionalidades de realidade aumentada e "Browse Around Me".

No primeiro, a imagem apontada pela câmera do aparelho recebe informações extras. Se ela estiver direcionada para um restaurante, pode aparecer o menu da casa, por exemplo. Já a segunda funcionalidade mostra um mapa e os pontos de interesse ao redor da localização do usuário, como o Foursquare. Este é um recurso que pode já aparecer no iOS 9, enquanto a realidade aumentada pode ficar para mais tarde.

Expandindo

A Apple quer que o Proactive se integre não apenas com os aplicativos da casa, mas também com apps de terceiros. A companhia está estudando um jeito de indexar parte dos programas acessados recentemente, permitindo à Siri e ao buscador levar o proprietário do aparelho para lugares específicos dentro dos aplicativos. Se um usuário tem costume de assistir a um determinado gênero no Netflix, o Proactive pode levá-lo a essa seção no app.

Muitos dos recursos do Proactive já estão com desenvolvimento avançado, mas nenhum deles tem lugar garantido no iOS 9 porque o novo foco da Apple é na qualidade (talvez seja um mea-culpa pelo lançamento meio atrapalhado do iOS 8). Em vez de funções ambiciosas, a companhia da Maçã pode optar por versões mais modestas e ir melhorando aos poucos.

O escopo deve ficar claro na abertura da WWDC, em 8 de junho.

Cupons de desconto TecMundo: