A internet brasileira sofreu um duro golpe nesta semana: na quinta-feira (9), o site Pudim.com.br, um dos maiores clássicos da rede nacional, foi hackeado pelo grupo terrorista radical Estado Islâmico (ISIS).

Em vez do único conteúdo da página, uma foto de um pudim de leite em baixa resolução, a imagem exibida era a de um terrorista armado possivelmente ligado ao ISIS. Os autores seriam Moroccanwolf e Abdellah Elmaghribi, que já possuem um histórico de invasão a sites de todos os cantos do mundo.

O site existe desde 2000 e não possui qualquer utilidade, além de exibir a foto da sobremesa tão adorada pela população nacional. Há alguns anos, ele recebeu o título de "pior site da internet brasileira" em uma votação feita na Campus Party.

O ataque ao pudim

Segundo o G1, foram 126 sites brasileiros atingidos por esse ataque do ISIS, que é conhecido como "deface" — ou seja, literamente "repaginar" o visual e colocar outro conteúdo no lugar do original. No caso do Pudim, ele não foi um alvo isolado, já que uma série de domínios sofreram o mesmo tipo de invasão de uma só vez.

O Pudim hackeado estava assim...

A empresa de data centers Equinix, que guarda os dados dos sites atingidos, alega que não é a responsável por deixar o ataque acontecer. A culpa seria das senhas utilizadas para acessar o FTP de cada um desses clientes — ou seja, provavelmente o código de acesso ao Pudim.com.br era tão simples quanto o conteúdo da página. Não está descartada também a ajuda de outros hackers que obtiveram a lista e venderam ou divulgaram os dados em fóruns obscuros da internet.

Ao site Motherboard, o administrador do site, Alberto Henry Riff, afirmou que não sabe o que aconteceu e que repudia qualquer manifestação do tipo.

... e, agora, está assim.

O pior de tudo? Como mostra a imagem acima, atualmente o Pudim está fora do ar. Do fundo de nossos corações, esperamos que seja temporário e apenas para manutenção.

Cupons de desconto TecMundo: