Google Maps é investigado na Alemanha por prejudicar outros apps

1 min de leitura
Imagem de: Google Maps é investigado na Alemanha por prejudicar outros apps
Imagem: Google
Avatar do autor

O Escritório Federal de Combate a Cartéis da Alemanha anunciou, na terça-feira (21), a abertura de uma investigação sobre a atuação do Google Germany e sua controladora Alphabet naquele país. O inquérito diz respeito a “possíveis restrições anticompetitivas” adotadas pela plataforma Google Maps.

O que o Bundeskartellamt procura, segundo seu chefe, Andreas Mundt, são indícios de que o serviço de pesquisa e visualização da Big Tech americana possa “estar restringindo a combinação de seus próprios serviços de mapas com serviços de mapas de terceiros". O executivo citou como exemplo o fato de o Google Maps bloquear a incorporação de seus dados de localização, pesquisa e Street View pelos demais apps.

Isso poderia, segundo declaração de Mandt à Reuters, "permitir que o Google expandisse ainda mais sua posição de poder em relação a certos serviços de mapas". Segundo a ação, os usuários são obrigados a recorrer exclusivamente aos serviços entregues pela gigante de Moutain View, constituindo uma prática claramente anticompetitiva.

O que disse o Google?.

Um porta-voz do Google afirmou que a empresa está disposta a trabalhar com os reguladores alemães, e pronta a responder a qualquer tipo de pergunta a respeito de seus negócios no país.

A investigação ocorre à luz das novas regulamentações que entraram em vigor no ano passado, que outorgam à agência reguladora poderes para proibir ações de empresas com peso no mercado que possam prejudicar a livre concorrência.

Nesse sentido, a agência alemã usou a nova legislação para iniciar investigações paralelas sobre os termos e condições do Google para processamento de dados e até mesmo sobre o serviço de notícias Google News Showcase, que promete ajudar empresas jornalísticas a fortalecer o seu relacionamento com o leitor.

As gigantes Amazon e Facebook também estão sob investigação na Alemanha.

Fontes