Policiais são demitidos por caçar Pokémon no horário de trabalho

1 min de leitura
Imagem de: Policiais são demitidos por caçar Pokémon no horário de trabalho
Imagem: Pokémon Go
Avatar do autor

Os oficiais Louis Lozano e Eric Mitchell, da força policial de Los Angeles, foram demitidos por jogar Pokémon Go durante o trabalho. Os oficiais foram flagrados pela câmera do painel da viatura, não apenas caçando Pokémon, mas ignorando chamado por reforços de um capitão.

Por questões de segurança dos próprios policiais, as câmeras de todas as viaturas registram toda a atividade dentro dos veículos e os dois foram flagrados se recusando a ajudar o capitão que estava respondendo a um assalto em um centro comercial.

Temos que pegar!

Pokémon Go é, provavelmente, o aplicativo de realidade aumentada mais popular e o conceito de metaverso deve garantir que essa popularidade aumente ainda mais nos próximos anos. Entretanto, desde que foi lançado em 2015 é comum encontrar relatos sobre problemas relacionados a pessoas caçando os monstrinhos em situações inusitadas.

Ao ouvir o rádio pedindo reforços, Lozano respondeu "Eu não quero ajudar [ele]," se referindo a seu capitão para seu colega de viatura. Após ignorar pelo menos dois pedidos de reforços, os policiais dirigiram por 20 minutos tentando capturar um Snorlax e um Togetic, dois Pokémon relativamente raros.

Togepi é forma inicial do Pokémon raro que os oficiais tentavam capturarTogepi é forma inicial do Pokémon raro que os oficiais tentavam capturarFonte:  Pokémon Go 

Quando questionados por seu sargento sobre terem ignorado os pedidos de reforços, Lozano e Mitchell afirmaram não ter escutado o rádio pois estavam conversando. Por via das dúvidas o sargento decidiu verificar a câmera do veículo e, ao constatar a recusa deliberada em atender ao pedido por reforços, os dois oficiais foram demitidos.