Após polêmica de plágio, Streamlabs vai tirar 'OBS' de seu nome

2 min de leitura
Imagem de: Após polêmica de plágio, Streamlabs vai tirar 'OBS' de seu nome
Imagem: Divulgação/OBS
Avatar do autor

A fornecedora de software e ferramentas para transmissões ao vivo Streamlabs foi acusada nesta terça (16) de ter copiado material promocional da companhia Lightstream para seu novo produto de lives do Xbox.  Durante a polêmica no Twitter, o perfil do software OBS "entrou na briga", alegando que o uso do termo Open Broadcaster Software, software aberto para transmissões em tradução livre, pela acusada não foi autorizado. Com isso, a companhia que pertence à Logitech disse que vai retirar o termo "OBS" de seu nome.

"Perto do lançamento, o Streamlabs entrou em contato conosco para usar a palavra OBS. Negamos gentilmente, mas eles o fizeram mesmo assim e registraram a marca. Tentamos resolver isso em  conversas particulares, mas nunca foram cooperativos", informou o perfil, no dia 17 de novembro.

O uso da sigla ainda gerou confusão aos usuários do OBS "tradicional", já que muitos não entendem a diferença e separação entre os dois serviços. Dito isso, a "copiada" informa que o Streamlabs obedeceu todos os termos da Licença Pública Geral —  sigla GPL inglês —, mas ignorou o "espírito" do código aberto.

Não demorou muito para streamers perceberem o drama. A influenciadora Pokimane, com quase 8,5 milhões de seguidores na Twitch, ameaçou cancelar a parceria com o Streamlabs caso as acusações não fossem resolvidas. Parece que a pressão popular funcionou: o conteúdo publicitário foi alterado para ser diferente do Lightstream e a empresa prometeu que removerá "imediatamente" o "OBS" de seu nome.

Como justificativa para a apropriação da palavra, o Streamlabs informou que o programa para lives usa como base a plataforma de código aberto OBS e que a sua iniciativa também é deste tipo.

Porém, como as respostas do tweet afirmaram, foi necessária uma crise de popularidade para que o problema fosse admitido e resolvido.

Atualmente, a companhia ainda utiliza "Streamlabs Open Broadcast Software (OBS)" para definir seu programa. Não há uma previsão exata para a retirada, mas a plataforma disse que tomaria ações "imediatas" para resolver o problema.