Fedora Linux, distribuição conhecida pela facilidade de uso e grande quantidade de recursos, chega à sua oitava versão. Assim como nas versões anteriores, também visa atender desde o usuário leigo até o avançado, através das diversas ferramentas existentes no sistema.

Diversos Ambientes gráficos

Um dos principais destaques desta distribuição são os vários ambientes gráficos instalados por padrão no sistema. Usuários de Gnome, KDE, XFCE e Windowmaker podem usar seu ambiente preferido sem precisarem instalar nada de adicional.

Todos tipos de usuários do Fedora podem usar o ambiente mais compatível com seu gosto. Logo abaixo, será feita uma comparação entre os ambientes citados acima e mais alguns existentes, avaliando os quesitos facilidade e efeitos visuais.

Quanto à facilidade

Os ambientes Gnome, KDE e XFCE oferecem interfaces bastante intuitivas de serem utilizadas, principalmente para usuários sem muita experiência em plataforma Linux. A organização dos menus, barras de tarefas e atalhos foi construída para promover uma boa acessibilidade ao usuário.

Por outro lado, ambientes como o Windowmaker e o Blackbox utilizam interfaces e comandos difíceis de serem utilizados pelo usuário comum.

Entre todos os gerenciadores gráficos, o Icewm pode ser definido como o meio termo na questão da acessibilidade, pois utiliza uma interface intuitiva, mas nem sempre é fácil executar tarefas cotidianas, como trocar um papel de parede.

 

Quanto aos efeitos visuais

Neste quesito, os principais destaques novamente são o Gnome e o KDE. Isto se deve a capacidade destes ambientes suportarem algumas extensões gráficas, com o objetivo de incrementar os efeitos visuais e adicionar funcionalidades 3D ao desktop. A principal delas é a “Compiz Fusion”, que possui efeitos interessantíssimos, como o Flip 3D, a rotação da área de trabalho em forma de cubo, e o efeito gelatina ao movimentar a janela.

Contendo belos desktops, mas sem toda interatividade 3D, podemos citar o XFCE, o Icewm e o Windowmaker. Com estes ambientes é possível montar áreas de trabalhos muito bonitas, mas sem recursos de última geração, como cubos girando.

Já o BlackBox não é atrativo visualmente, principalmente pelo desktop ser baseado em tons escuros de cor e escalas em cinza.

Tipos de Licença do Fedora

Desenvolvido pelo “Projeto Fedora”, criado em 2003,  e baseadofortemente na distribuição Red Hat, o Fedora Linux trabalha com doistipos distintos de licenças: a GPL e a comercial.

Tanto o sistema quanto os programas que já vêm pré-instalados, possuem  licença GPL, ou seja, podem ser distribuídos e modificados livremente.Nenhum tipo de taxa é cobrada  do usuário para a utilização destes softwares.

Existem basicamente dois tipos de pacotes para a instalação de novos programas, os gratuitos e os pagos. A principal diferença está no tipode desenvolvimento, pois os pacotes gratuitos são desenvolvidos pela comunidade Software Livre, enquanto os pagos são mantidos pelas grandes empresas.

Outra grande diferença entre os pacotes que possuem ou não licenças é a quantidade de recursos oferecidos. Enquanto o pacote livre possui recursos suficientes para a maioria dos usuários, sua versão paga tem funcionalidades específicas para o profissional da área de atuação doprograma.

Grande parte dos pacotes pagos disponíveis para o Fedora são desenvolvidos primeiramente para a Red Hat Enterprise Linux, que atualmente é uma distribuição paga.

Neste texto será mostrado somente como instalar programas gratuitos em seu computador, desta maneira mantendo o foco no Software Livre.

 

Baixar e Instalar Pacotes

Até alguns anos atrás, instalar um programa em alguma distribuição Linux era uma tarefa não tão fácil de ser realizada, pois na maioria das vezes era necessário compilar códigos fontes e  resolver dependências manualmente.

Entretanto,  este problema foi resolvido na maioria das distribuições Linux. É possível afirmar que muitos softwares são mais fáceis de serem instalados no Fedora do que no próprio Windows. Isto se deve pelo fato de existirem programas muito úteis para realizar esta tarefa, como o Yum.

O Yum é um comando que roda em modo texto, possuindo uma sintaxe muito simples. Sua principal função é baixar e instalar programas no computador, resolvendo eventuais dependências. Com uma única linha digitada no terminal, um software pode ser completamente baixado e instalado em sua máquina.

Alguns exemplos de uso podem ser conferidos abaixo:

$ sudo yum install skype – Instala o comunicador instantâneo Skype em seu computador.
$ sudo yum remove skype – Remove o pacote Skype.


Para os usuários que não são familiarizados com terminais em modo texto, existe o gerenciador de pacotes Pirut, o qual é uma interface gráfica do Yum Através dele, vários pacotes podem ser selecionados e instalados ao mesmo tempo, facilitando bastante o trabalho exigido do usuário.

Para mais informações sobre o Yum e o Pirut, consulte a página oficial do programa. Nosso site também oferece uma vasta coleção de programas para Linux, que pode ser conferida neste link.

 


Tipos de mídias do Fedora


Ao acessar o site oficial de downloads, é possível observar que existem vários tipos de imagens .ISO distintas. Cada uma delas é recomendada para um tipo específico de computador ou de conexão com a internet. As principais são:

Mídia em DVD


O uso da imagem em DVD é recomendado ao usuário que deseja ter a instalação mais completa possível do Fedora em seu computador. Muitos programas já acompanham o sistema por padrão ou podem ser instalados a partir da mídia de DVD.
 
Para fazer o download da imagem é necessário uma conexão relativamente rápida com a Internet, principalmente pelos 3GB que precisam ser baixados. Logo após, um gravador de DVD também é requisitado para a geração da mídia.

Este método de inicialização não possui uma versão demonstrativa do sistema (liveCD),  sendo a opção de instalação do Fedora a primeira tela carregada. Será a maneira de instalação descrita neste tutorial.

Mídia em CD   


Para os usuários que por algum motivo não conseguiram obter a imagem em DVD, ou que preferem testar o Fedora antes de instalar no computador, a versão liveCD é mais recomendada.

Enquanto o DVD acompanha diversos ambientes gráficos por padrão, como o Gnome e o KDE, o liveCD é equipado com apenas um gerenciador de cada vez. Em outras palavras, o liveCd que acompanha o Gnome não vem com o KDE instalado e vice e versa.

Uma vez o inserido o CD no drive durante a instalação, existe a opção de primeiro testar o sistema e só depois instalá-lo no computador.

Instalação

A instalação do Fedora 10 é relativamente simples, pois todo o processo é executado em janelas gráficas auto-explicativas.

Para iniciar a instalação, o primeiro passo consiste em colocar o DVD no drive e  dar boot por ele. Para isto, é necessário dar preferência ao seu drive de DVD na próxima inicialização da máquina, alterando esta opção na Bios. Para maiores informações, consulte a nossa página do Ubuntu sobre este mesmo assunto ( link da página do Ubuntu) assim como o manual  de sua placa mãe.

 



Logo após, uma tela será exibida com algumas opções referentes a instalação do Fedora. Para a maioria dos usuários é recomendado escolher a primeira opção disponível, a qual tem a função de prosseguir com a instalação do sistema.

O próximo passo é verificar se a mídia de DVD não possui setores defeituosos, assim evitando que a instalação trave no meio do processo. Caso a operação resulte algum erro, é necessário regravar a imagem em um novo DVD.

Nesta etapa serão solicitados a linguagem da instalação e o a localização geográfica. Usuários brasileiros podem escolher “Português do Brasil” e a cidade mais próxima da sua, respectivamente.

Agora chegamos a um ponto bastante importante e delicado na instalação, o particionamento de disco. É fortemente recomendado que o guia oficial de particionamento do Fedora seja lido e compreendido antes de prosseguir neste passo. O guia pode ser encontrado no seguinte link.

Ainda sobre o processo de particionamento, é importante salientar que se uma partição Windows precisar ser redimensionada, ela deverá ser desfragmentada antes. As únicas partições que devem ser criadas obrigatoriamente são a de swap e de sistema, esta última com pelo menos 4 GB.

As ultimas etapas são constituídas pela instalação automática de pacotes e definição de nomes de usuários e senhas. Após concluídas estas etapas, o Fedora 8 estará completamente instalado em seu sistema!

 

Cupons de desconto TecMundo: