Imagem de: 5G: disputa entre EUA e Huawei pode acelerar nova geração no Brasil

5G: disputa entre EUA e Huawei pode acelerar nova geração no Brasil

1 min de leitura
Avatar do autor

A guerra comercial entre China e EUA, que ocasionou sanções à Huawei, pode acelerar o desenvolvimento da rede 5G no Brasil. Impedida de fornecer tecnologias para Estados Unidos, Reino Unido, Canadá e Austrália  estes últimos por conta de decisões próprias , a gigante chinesa poderá começar a focar nações emergentes.

O diretor de evolução tecnológica da Claro Brasil, Luiz Fernando Bourdot, em conversa com jornalistas nesta terça-feira (11), afirmou ter equipamentos da Huawei, assim como da Nokia e Ericsson, operando para esse fim no País.

De portas abertas

GSMA estimou a chegada de uma 5G de qualidade no Brasil apenas em 2025, mas esse prazo poderá ser antecipado se o foco da Huawei se voltar para cá. Em entrevista ao Valor Econômico na última sexta-feira (07), o vice-presidente da república, Hamilton Mourão, disse que o Brasil não banirá a empresa chinesa e enfatizou precisarmos de tecnologias para melhorar as telecomunicações no País.

"Nosso governo não tem [intenção de banir a Huawei]. O presidente não falou isso para mim em nenhum momento. Nós somos um país que precisa, somos um país muito pouco integrado digitalmente. Você sai daqui de Brasília, anda 50 km na estrada e não fala mais no telefone", afirmou Mourão.

***

  • No Brasil já temos o 4.5G da Claro, então confira as opções de plano controle.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
5G: disputa entre EUA e Huawei pode acelerar nova geração no Brasil