De olho no 5G, Qualcomm abre centro de Internet das Coisas no Brasil

1 min de leitura
Imagem de: De olho no 5G, Qualcomm abre centro de Internet das Coisas no Brasil
Avatar do autor

A quinta geração de internet móvel ainda deve demorar para chegar ao Brasil — a previsão ficou somente para 2025 —, entretanto, participar da estruturação e implantação do 5G desde o seu princípio pode assegurar vantagens interessantes para as empresas de tecnologia. Por isso mesmo é que a Qualcomm já vem se adiantando e anuncia nesta terça-feira (18) o seu IoT Reference Center, um centro de referência da Internet das Coisas (ou IoT em inglês), que atualmente é o setor mais interessado na nova velocidade de conexão.

Centro terá o apoio da Faculdade de Engenharia, Tecnologia em Jogos Digitais e Arquitetura e Urbanismo de Sorocaba e do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações

“A Internet das Coisas tem um enorme potencial no Brasil. O Qualcomm IoT Reference Center é uma plataforma de diálogo entre distintos atores ligados à tecnologia, como fabricantes, desenvolvedores e gestores públicos, e contribuirá para a capacitação de profissionais que estejam envolvidos em projetos e negócios de IoT”, diz Rafael Steinhauser, vice-presidente sênior da Qualcomm Serviços de Telecomunicações Ltda. e Presidente da Qualcomm América Latina.

A Faculdade de Engenharia, Tecnologia em Jogos Digitais e Arquitetura e Urbanismo de Sorocaba (Facens-SP) e o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD) foram as instituições selecionadas para colaborar com o projeto. O Centro de Referência está localizado dentro do Smart Campus da Facens e terá o apoio do CPqD em seu primeiro projeto-piloto, focado no aprimoramento da segurança pública.  A iniciativa fará o monitoramento de veículos por meio do uso de visão computacional embarcada e redes wireless para IoT.

qualcomm

O Qualcomm IoT Reference Center também deve oferecer treinamentos e, entre seus primeiros projetos, deve apresentar o conceito de cidades inteligentes e seus benefícios para gestores públicos interessados em iniciativas ligadas à IoT. “A ideia é mobilizar a todos e capacitar mão de obra para trabalhar com a IoT e outras tecnologias disruptivas. Temos em vista o Plano Nacional de IoT, que prevê que a aplicação de tecnologias de IoT possa gerar um impacto econômico de US$ 50 bilhões a US$ 200 bilhões por ano até 2025, o que representa cerca de 10% do PIB do país”, projeta José Palazzi, diretor de vendas da Qualcomm para América Latina.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
De olho no 5G, Qualcomm abre centro de Internet das Coisas no Brasil