Serviços de streaming de filmes e séries, como Netflix e Amazon Prime Video, terão que cumprir uma cota de produções locais em suas versões para países da União Europeia. De acordo com Roberto Viola, diretor da comissão responsável pelo setor de comunicação, conteúdo e tecnologia, as novas regras devem ser aprovadas em dezembro e preveem um mínimo de 30% da biblioteca composto por produções europeias.

Todos os países que fazem parte da União Europeia terão 20 meses para começar a aplicar as novas regras. Eles também terão a opção de aumentar o percentual exigido para 40% e optar ou não por adicionar uma taxa extra às assinaturas para financiar um fundo de apoio às produções nacionais. Essa última proposta é o modelo que foi seguido pela Alemanha, por exemplo.

Ainda segundo Viola, as novas regras foram feitas para obrigar as plataformas de streaming a investir mais na Europa. No entanto, é possível que os serviços nem tenham tanta dificuldade para alcançar o patamar exigido, visto que a Netflix não está longe de ter 30% de conteúdo europeu, disse o responsável pela comissão.

Para atingir essa meta, as empresas poderão incentivar a produção de novos filmes e séries ou adquirir os direitos de transmissão de conteúdo existente.