Todo mundo já está ciente da “ciberguerra fria” em pleno andamento entre os Estados Unidos e Rússia — o que inclui interferência nas eleições estadunidenses, acusações da ex-CEO do Yahoo! e centenas de contas falsas utilizadas pelos russos para disseminar notícias falsas. E o conflito ganha mais um episódio curioso na manhã desta terça-feira (14): o site oficial do Ministério da Defesa da Federação Russa compartilhou um tweet com uma imagem de um game para acusar os Estados Unidos de parceria com os terroristas do Estado Islâmico (ISIS) na Síria.

O @mod_russia postou em russo, inglês e árabe detalhes sobre que seriam imagens captadas por drones. “O Ministério da Defesa mostra evidência irrefutável de que os Estados Unidos estão atualmente dando cobertura para as unidades de combates ISIS para recuperá-los, reimplantá-los e usá-los para promover interesses americanos no Oriente Médio.”

Só que as imagens utilizadas eram do jogo AC-130 Gunship Simulator, trabalho da Byte Conveyor Studios elogiado pelo realismo e em desenvolvimento para Android e iOS desde 2015. Ao notar a gafe, o órgão do governo russo apagou as mensagens, mas não antes de usuários flagrarem o ocorrido.

Rússia Estados Unidos ISIS

Olha o trailer do app:

Os “planos de ataque” do grupo EUA/ISIS

Abaixo, as descrições das ações militares dos Estados Unidos e do Estado Islâmico, ilustradas com os screenshots do título para tablets e smartphones. Nessa primeira, a Rússia especifica localização e data. “O comboio do ISIS, saindo de Abu-Kamal, próximo à fronteira entre o Iraque e a Síria.”

Rússia EUA ISIS

O usuário Christiaan Tribert reconheceu o game e logo comentou a “notícia” publicada pelo Ministério da Defesa da Federação Russa, que já havia sido compartilhada por vários usuários no Twitter.

Outra fake news desmascarada nas redes sociais foi o de um drone que teria flagrado mais um enfileiramento de veículos EUA/ISIS em Abu Kamal. O Conflict Intelligence Team revelou que a imagem na verdade vem de um vídeo de 2016, veiculado pelo Russia Today. Originalmente, a gravação mostrava um bombardeio da Força Aérea Iraquiana contra o ISIS perto de Fallujah.

Após a exposição das trollagens, as mensagens foram apagadas das redes sociais, tanto no Facebook quanto no Twitter. Mas podem aguardar por mais casos como esse, já que essa ciberguerra está longe de acabar.

Cupons de desconto TecMundo: