Se a política de armas dos Estados Unidos não dá indícios de mudança mesmo após o maior atentado com arma de fogo já realizado no país, no último dia 1º, quando Stephen Paddock abriu fogo contra a população que assistia a um show e matou 58 pessoas, ferindo mais de 500. O YouTube, por sua vez, mexe em suas diretrizes a fim de evitar que vídeos mostrando como realizar modificações em armas de fogo sejam publicados na plataforma.

A partir de hoje (9), o YouTube passa a não aceitar mais vídeos que expliquem como donos de armas podem deixar os seus equipamentos ainda mais mortais ao utilizar um dispositivo chamado “bump stock” acoplado a eles.

“Há muito nós temos uma política contra conteúdo ameaçador e perigoso”, afirmou um porta-voz do YouTube. “Na sequência da recente tragédia em Las Vegas, nós olhamos mais de perto para vídeos que demonstravam como converter armas de fogo para torná-las capazes de disparar mais rapidamente e expandimos a nossa política existente para proibir esses vídeos.”

Com esse modificador, um rifle comum ganha características de rifle automático e consegue disparar mais projéteis em menos tempo. Apesar da venda de rifles automáticos ser proibida nos EUA, a comercialização dos bump stocks é totalmente liberada e uma unidade pode ser adquirida por cerca de US$ 100. Paddock usou um bump stock para incrementar a letalidade de suas armas durante o atentado no início do mês.

Cupons de desconto TecMundo: