O casal Michael e Heather Martin já havia perdido a guarda dos cinco filhos em maio de 2017 por causa do YouTube: eles mantinham o DaddyOFive, canal em que os pais postavam várias "pegadinhas" feitas tendo as crianças como alvo. Agora, saiu a sentença, que também é negativa para a dupla.

De acordo com o jornal The Baltimore Sun, eles foram sentenciados a cinco anos de liberdade condicional sob a acusação de negligência infantil. Os Martin ainda se declaram inocentes, porém reconhecem que há provas o suficiente para uma condenação.

Antes de mover os clipes para o modo privado, o canal tinha mais de 300 vídeos de abusos e humilhações — desde fazer as crianças provarem alimentos de péssimo gosto a destruir o videogame de um dos filhos, passando até por incitação à violência entre as crianças.

As primeiras denúncias vieram a partir de pessoas que assistiram aos clipes e ficaram chocados com o conteúdo.

O processo levou em conta somente as consequências das gravações em duas das cinco crianças que moravam com o casal — Emma, de 11 anos, e Cody, de 10 anos. Ambos são filhos biológicos de Michael e tinham Heather como madrasta. Segundo um psiquiatra que acompanhou o caso, foram detectadas deficiências cognitivas no comportamento das vítimas, e isso estaria diretamente relacionado com as ações exibidas no site de vídeos.

Além de estarem sob constante observação judicial e terem que realizar exames constantes de saúde mental, os Martin não podem ter contato com as duas crianças ou postar conteúdos não relacionados ao tema "família" envolvendo as duas em redes sociais sem autorização prévia da corte. Elas agora moram com a mãe biológica.

Cupons de desconto TecMundo: