Depois que supremacistas brancos saíram da toca na última sexta-feira na cidade de Charlottesville, pessoas e até mesmo corporações, organizadas ou não, se posicionaram contra o racismo e o atraso representado por essas ideias. A bola da vez é o app de chat para gamers Discord, que começou a encerrar contas ligadas ao ideário neonazista.

A companhia se junta a outras do setor de tecnologia, como GoDaddy e o Google fecharem o cerco em torno de um site que defendia ideais racistas, e também ao AirBnb, que cancelou reservas de supremacistas brancos na região de Charlottesville. Pelo Twitter, o Discord divulgou um comunicado no qual reafirmou o seu compromisso de unir pessoas e de combater o ódio e a violência.

“A missão do Discord é unir as pessoas em torno dos jogos. Nós somos a favor da positividade e da inclusão. Não do ódio. Não da violência”, registra o comunicado. “Hoje, nós encerramos o servidor altright.com e uma série de contas associadas aos eventos em Charlottesville. Nós continuaremos a agir contra a supremacia branca, a ideologia nazista e todas as formas de ódio.”

O site Altright.com, que reúne defensores da supremacia branca, se manifestou chamando os empregados do Discord de “nerds patéticos” e acusando a companhia de “se unir à guerra contra a liberdade de expressão”. Para eles, essa é mais uma prova da conspiração global que reúne corporações, judeus e homossexuais para impor a tirania sobre o mundo.

“Eles com certeza escolheram o inimigo errado. A história nos mostra que regiões de jovens homens motivados, inteligentes e privados de direitos são muito boas em resistir à tirania”, afirmaram os supremacistas brancos em comunicado.

Cupons de desconto TecMundo: