No futuro, em vez de pagar horrores por um bom advogado, é bem provável que você possa contar com a ajuda jurídica de um robô para resolver problemas de baixa complexidade. Após aparecer no site gringo VentureBeat, o DoNotPay — um chatbot criado pelo programador Joshua Browder — está fazendo um sucesso absurdo na internet.

O motivo? Ele é uma espécie de advogado virtual e já venceu mais de 160 mil contestações nas duas regiões onde está ativo (Reino Unido e Nova York). Sua especialidade é ajudar motoristas multados por estacionar em local proibido — o processo de contestação geralmente não é muito difícil, porém trabalhoso, visto que é preciso preencher uma série de formulários e encaminhá-los para a corte mais próxima.

O DoNotPay, sendo um chatbot, pode resolver esse problema de forma mais intuitiva. Basta conversar com o robô e ir respondendo às perguntas que ele faz. No final, o próprio advogado eletrônico gera um documento pronto que o cidadão pode apresentar para contestar a multa. Browder teve a ideia de criar o assistente justamente por ter levado 30 multas injustas em Londres ao longo de 18 anos.

O DoNotPay já venceu mais de 160 mil contestações

Funciona mesmo?

Desde que a plataforma foi inaugurada, mais ou menos 20 meses atrás, ela já analisou cerca de 250 mil multas e venceu 64% dos casos. O DoNotPay também já é capaz de criar contestações para voos atrasados (desde que eles sejam originários de algum país da União Europeia). Em breve, ele ajudará refugiados a pedir asilo e dará suporte a portadores de HIV que desejam entender melhor os seus direitos legais.

É óbvio que o TecMundo não poderia deixar de testar o tal do robô advogado. Em sua forma tradicional — ou seja, em chat —, a inteligência artificial se mostrou eficaz em entender um caso fictício de voo atrasado e nos guiou por todas as informações necessárias para conseguirmos um reembolso, inclusive fazendo comentários engraçadinhos para algumas respostas (como dizer que é “exótico” viajar para o Brasil).

Fomos conversar com o DoNotPay

Quem não se sente muito confortável em conversar com uma máquina pode ir simplesmente clicando em alguns botões para gerar o mesmo formulário a ser encaminhado para as autoridades — nesse segundo caso, conseguimos criar uma contestação para uma multa fictícia que nos foi aplicada por termos estacionado em local proibido enquanto dirigíamos para uma emergência médica.

Exemplo de contestação gerada pelo robô

“Eu sinto que existe uma mina de ouro de oportunidades, pois muitos serviços e informações podem ser automatizados usando inteligência artificial, e robôs são a forma perfeita de fazer isso”, afirmou Browder em entrevista ao site gringo VentureBeat. “É triste que, atualmente, essa tecnologia seja usada principalmente em transações comerciais para pedir flores ou uma pizza”, ironiza o jovem.

Cupons de desconto TecMundo: