Enquanto figuras de renome como Elon Musk temem o potencial destrutivo da inteligência artificial, isso não gera preocupações em Eric Schmidt, presidente executivo da Google. Segundo ele, “o estado atual da Terra” não permite que cheguemos a um cenário no qual uma tecnologia do tipo vai se revoltar contra os humanos.

A afirmação foi feita durante sua participação na conferência Stockholm de Mentes Brilhantes, na qual ele fez referência aos temores expressos por Musk e pelo físico Stephen Hawking. Schmidt elogia o conhecimento e o talento de ambos, mas afirma que eles não sabem muito bem do que falam, já que não são cientistas da computação.

O estado atual da Terra não suporta esse cenário

“O cenário que eles estão descrevendo é um em que computadores se tornam tão espertos que decidem nos destruir por conta de algum bug. Minha pergunta é: você não acha que os humanos vão perceber isso e começar a desligar essas máquinas? Teríamos uma corrida entre humanos desligando computadores e a inteligência artificial se realocando para outras máquinas nessa disputa louca até o último computador, que não pode ser desligado. Isso é um filme. Um filme. O estado atual da Terra não suporta esse cenário”, complementa.

Apesar das declarações de Schmidt, a Google está tomando uma série de medidas para assegurar que algo do tipo nunca possa acontecer. Um laboratório da empresa conhecido como “DeepMind” desenvolveu uma espécie de “botão vermelho de emergência” que teoricamente seria capaz de desligar inteligências artificiais e assegurar o controle humano sobre máquinas no futuro.

Cupons de desconto TecMundo: