(Fonte da imagem: Reprodução/Computing)

A gigante do ramo de processadores Intel revelou o desenvolvimento de chips para dois clientes comerciais que utilizam modelos com arquitetura ARM, mesmo que esse padrão seja concorrente ao sistema x86 da companhia.

Em abril, a empresa Netronome fechou com a Intel o desenvolvimento de um processador de fluxo que conta em sua estrutura com um processador ARM.

Agora, é a Altera que vai contar com a tecnologia da Intel para a fabricação de um novo SoC (system-on-a-chip) com processador ARM quad-core de 64 bits integrado. O sistema da empresa Altera vai utilizar o componente ARM como um processador de controle que ajudará a gerenciar os dados do circuito FPGA (de Arranjo de Portas Programável em Campo).

De acordo com o diretor de marketing da Altera, “quando este chip for lançado, ele será um dos maiores já produzidos em termos de número de transistores – com mais de 4 bilhões em sua estrutura”. Por comparação, o último chip Haswell da Intel tem cerca de 1,5 bilhão de transistores.

A fabricação de chips ARM de arquitetura 64 bits com a tecnologia de ponta da Intel pode trazer uma revolução no ramo de dispositivos móveis, já que a empresa estava ficando para trás das concorrentes como a NVIDIA, Texas Instrumentes ou Qualcomm nesse mercado. E há fortes indícios de que a companhia estaria mesmo com planos de investir no ramo de processadores portáteis.

Para a Altera, a parceria com a Intel está relacionada à confiança no serviço e na tecnologia da empresa. O diretor de marketing da Altera lembra que, a partir de 2014, a Intel começa a produzir SoC de 14 nanômetros, a menor e mais avançada escala de fabricação de semicondutores.

Cupons de desconto TecMundo: