As fronteiras entre o “real” e o “virtual” estão cada vez mais borradas. E a fusão entre acessórios digitais e cotidiano não se limita apenas a dispositivos de realidade virtual (veja mais aqui). Instrumentos acústicos capazes de soar como controladores digitais sem perder sua característica de dinâmica são também realidade. Criado pelos desenvolvedores Tlacael e Tenoch Esparza, o Sensory Percussion é capaz de transformar até mesmo uma mesa em um instrumento musical sensível.

“Estamos tentando trazer de volta a fisicalidade intuitiva da nossa forma de fazer música, aplicando a esse processo nossa habilidade com música eletrônica”, explica Tlacael, um dos fundadores da startup Sunhouse, estúdio responsável por desenvolver o protótipo. Quando acoplado às peças de uma bateria acústica, o sensor transforma as vibrações em um sinal digital completamente personalizável.

O diferencial

Fazer com que uma interface física funcione como instrumento musical não é novidade. Configurar um teclado ou bateria eletrônica como controlador MIDI é prática comum por parte de produtores e músicos. Mas “usar um pad não é tocar bateria, e sim operar pedaços de uma máquina”, comenta Tlacael, que é também baterista.

O diferencial de Sensory Percussion está na forma como a captação e a tradução das frequências de som são feitas. Com os sensores é possível aplicar sons diferentes para cada altura da peça tocada – alterar entre a borda e o centro da pele da caixa, por exemplo, e fazer com que sons particulares para cada um dos estágios da percussão sejam tocados é uma das tarefas que podem ser executadas.

usar um pad não é tocar bateria, e sim operar pedaços de uma máquina

Os ajustes dos timbres eletrônicos podem ser feitos de modo preciso – já pensou em fundir dois ou mais sons para cada tipo de frequência do bumbo? Até mesmo a madeira ou alumínio das coroas das peças podem passar a funcionar como extensões novas do instrumento, fato este que abre novos horizontes a músicos experimentais.

Como funciona

As vibrações do instrumento são captadas pelos sensores direcionais de Sensory Percussion – o que evita a leitura de ruídos emitidos por demais instrumentos ou caixas de som. Cada sensor é conectado a uma interface de áudio, que, por meio de cabo USB, faz ponte com um computador. O software do acessório lê as frequências e aplica as definições ajustadas pelo usuário a cada um dos sensores.

Até o momento de publicação desta notícia, a campanha da Sunhouse via Kickstarter tinha agariado quase US$ 67 mil dos US$ 80 mil solicitados para a fabricação em série da primeira leva do produto. Se o montante for conquistado até o dia 05 de agosto, o lançamento do Sensory Percussion será feito em janeiro de 2016.

As limitações entre instrumentos acústicos e digitais estão prestes a desaparecer? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: