Basta conferir as últimas apresentações da Microsoft para entender que a realidade aumentada é realmente uma das grandes apostas da companhia para o futuro próximo. Depois de anunciar o HoloLens especialmente para dar suporte à tecnologia e revelar que a próxima atualização do Windows 10 vai contar com atualizações pontuais de seus programas para conversar com o recurso, a empresa resolveu levar sua ferramenta de AR a um novo patamar.

Quando os óculos de realidade aumentada da marca foram mostrados ao mundo pela primeira vez, a função de Holoportação – uma espécie de teleporte holográfico – já se destacava, possibilitando que pessoas em outros lugares do mundo fossem “materializadas” junto ao usuário do equipamento vestível. A ideia geral é que esse tipo de iniciativa facilite educação, treinamento e qualquer tipo de tutoria à longa distância. O problema? Antes essa opção ficava restrita ao conforto do seu lar ou a um canto do escritório.

A teleportação holográfica exige uma série de cuidados e equipamentos

Agora, em um anúncio feito na última quarta-feira (23), a Microsoft mostrou que seu projeto de presença remota pode ganhar uma mobilidade muito maior e ir parar dentro do seu carro. Basta que a aparelhagem de captura 3D esteja devidamente instalada para que um passageiro do automóvel seja escaneado e reproduzido de forma tridimensional na visão do usuário do HoloLens. Como é possível conferir no vídeo de demonstração abaixo, isso permite realizar reuniões “cara a cara” na empresa mesmo quando se está no meio do caminho para o serviço.

Mais amigável com a sua conexão

Como a companhia conseguiu deslocar o seu sistema de realidade aumentada? Simples, criando uma compressão consideravelmente melhor para os dados gerados pela tecnologia. Segundo a Microsoft, eles conseguiram reduzir o consumo e a escrita de informações necessárias para esse tipo de transmissão em 97%, fazendo com que a taxa de transferência da brincadeira fique “apenas” entre 30 e 50 Mbps – um valor bem mais humilde quando comparados aos números originais do projeto.

Futuramente, um novo codec pode dar suporte à transmissão via celular

Claro que, apesar de fazer a Holoportação ficar mais acessível, a mudança ainda está longe de fazer o recurso ser suportado pelas conexões móveis mais comuns. A dona do projeto conta que ainda é necessário que o veículo esteja no alcance de uma rede WiFi para que a conexão entre as partes seja constante e não esteja sujeita a interrupções eventuais. Futuramente, no entanto, um novo codec pode comprimir ainda mais os dados e dar suporte à transmissão via celular. Só não vale usar o gadget quando estiver dirigindo, hein?

Cupons de desconto TecMundo: