A internet como a conhecemos hoje perdeu um de seus maiores pais neste final de semana. Morreu aos 85 anos na última semana o cientista Robert Taylor, umt dos principais desenvolvedores por trás das redes de computadores que deram origem ao complexo sistema que hoje é tão indispensável.

Seu principal trabalho começou na década de 1960, quando fazia parte da Advanced Research Projects Agency (ARPA). Ao perceber a complexidade em se comunicar com terminais de universidades em outras cidades dos EUA, ele montou a equipe que criou uma forma de colocar todos esses pontos em uma mesma rede e trocar mensagens entre si. Essa rede foi chamada de ARPAnet, o principal antepassado do que hoje conhecemos como internet.

E as contribuições dele não param por aí: Taylor também trabalhou na Xerox e supervisionou o início da tecnologia Ethernet e o Bravo, um programa que viria a ser a base do Microsoft Word. Lá, ele ainda ajudou a criar as interfaces visuais gráficas usando janelas — algo mais do que comum hoje em dia — e garantiu orçamento para pesquisa e criação de equipamentos como o primeiro mouse.

Bob Taylor.

Em 1968, ele escreveu um artigo em que previa uma rede "vasta e descentralizada de dispositivos conectados que iriam redesenhar a comunicação em todos os níveis". Ele e aposentou oficialmente em 1996 e recebeu três anos depois a Medalha Nacional por Tecnologia e Inovação nos EUA, graças às contribuções para a computação pessial, interfaces de usuário e redes em geral.

"Bob" Taylor não era engenheiro por formação: ele acumulava diplomas nas áreas de psicologia e matemática quando foi trabalhar para o governo na ARPA. Ele tinha mal de Parkinson e faleceu em casa.

Cupons de desconto TecMundo: