O Ministro das telecomunicações, Paulo Bernardo, se manifestou sobre a oferta Telefônica para a aquisição da GVT e disse que a espanhola não poderá assumir as operações da empresa em São Paulo, pois a companhia brasileira é uma concessionária de telecomunicações. Porém, ele disse que em outras regiões do Brasil onde a GVT atua, “uma operação como essa não tem problema algum”.

A Vivendi, que controla a GVT, afirmou que nenhuma de suas unidades está à venda, mas que irá levar em consideração a oferta da Telefônica. Além dessa aprovação, órgãos de regularização brasileiros como o Conselho Administrativo de Defesa Econômica e a Anatel também precisam aprovar o acordo.

Segundo a Telefônica do Brasil, a oferta consiste em R$ 11,96 bilhões em pagamento em dinheiro e ações de emissão da companhia, representando 12% da Telefônica Brasil após a aquisição da GVT.

Cupons de desconto TecMundo: