Dentro de um Data Center da Google existem milhares de máquinas. Elas processam tudo o que você realiza em um dos serviços da empresa. Seja em uma pesquisa no portal de buscas ou ao utilizar o serviço de compras da companhia, os Data Centers sempre estão atuando para prover resultados para os usuários.

As máquinas de um Data Center da Google são personalizadas e montadas pela própria empresa para atender aos requisitos necessários. A Google constrói milhares de servidores por ano e cada um deles é construído como parte fundamental de um dos Data Centers.

(Fonte da imagem: Reprodução/Security and Data Protection in a Google Data Center)

Os computadores rodam uma versão dedicada do Linux, a qual é desenvolvida de acordo com as especificações da Google. Somente os serviços essenciais e estritamente necessários são instalados nesse sistema.

Segurança física

O acesso a um Data Center da Google é muito controlado. Faz parte da política da empresa não permitir visitas públicas a esses locais. E até mesmo os funcionários da Google têm restrições quanto ao acesso dessas máquinas. A entrada de veículos nesses locais é supercontrolada e existem cercas e portões para impedir a invasão não autorizada do local.

A segurança externa é realizada 24 horas por dia, sete dias por semana. Câmeras gravam todas as ações que ocorrem no perímetro do Data Center. Os funcionários autorizados possuem um cartão especial, o qual é carregado magneticamente para dificultar a clonagem.

(Fonte da imagem: Reprodução/Security and Data Protection in a Google Data Center)

Logo na entrada, os funcionários devem informar o nome em um computador. Alguns Data Centers da Google ainda são equipados com uma câmera que verifica a íris do funcionário. Após passar pela entrada, o funcionário está em uma sala comum da Google, na qual são efetuadas as atividades para controlar o Data Center.

O acesso às máquinas do Data Center é ainda mais restrito. Somente funcionários com cartões específicos podem entrar na sala principal do Data Center. E para tanto, não basta utilizar o cartão, mas também é preciso passar pelo leitor biométrico. Novamente, alguns Data Centers são equipados com leitores de íris.

Segurança dos dados

Um dos itens mais importantes nas máquinas de um Data Center da Google é o disco rígido. A empresa toma muito cuidado para lidar com esses discos, pois são neles que ficam armazenados os dados dos tantos usuários que usam os serviços Google.

Os dados dos usuários são armazenados em múltiplos locais para aumentar a confiabilidade. Os arquivos são guardados com nomes aleatórios e com uma codificação que não permite a humanos lerem o conteúdo.

(Fonte da imagem: Reprodução/Security and Data Protection in a Google Data Center)

Cada disco instalado em um servidor é constantemente monitorado. Se um disco falhar, ele é levado para um setor de testes, onde é reformatado e analisado de diversas maneiras. Caso o disco apresente falha incorrigível, ele é verificado mais uma vez para que haja 100% de certeza de que os dados anteriores foram apagados. Esse processo garante que nenhum dado dos usuários permaneça no disco rígido.

Os discos que não podem ser mais utilizados são completamente destruídos. Algumas etapas compõem essa tarefa. Em um primeiro momento, um equipamento amassa os discos do HD. Em seguida, uma máquina corta o disco rígido em pequenos pedaços, garantido que ninguém terá acesso aos dados dos usuários da Google.

(Fonte da imagem: Reprodução/Security and Data Protection in a Google Data Center)

Nota: todos os dados de um HD defeituoso possuem cópias reservas no mesmo Data Center, o que assegura que o usuário não perderá nenhum de seus arquivos ou informações.

Um Data Center da Google possui geradores de energia para garantir que as máquinas nunca parem de trabalhar. Além disso, existem múltiplas conexões de internet de alta velocidade, que mantêm os dados sempre acessíveis.

Cupons de desconto TecMundo: