A Google parece estar pronta para dar um passo gigante em sua trajetória de inovação. A empresa informou ao Wallstreet Journal que seu departamento Google X está trabalhando em um tipo de tecnologia que, em contato com o sangue, identificaria e curaria doenças como o câncer.

Basicamente, nanopartículas com um milésimo do tamanho de um glóbulo vermelho de sangue analisaria as células de uma pessoa, conferindo se está tudo certo. Aparentemente, a ideia de lançar essas nanopartículas no corpo através da ingestão de uma cápsula está sendo cogitada. Obviamente, a Google sabe o quanto de fiscalização esse tipo de medicina precisaria passar nas mãos dos órgãos responsáveis.

O projeto também envolve o uso de um dispositivo vestível que ficaria responsável por localizar as partículas. Estima-se que o tempo de desenvolvimento, até que tudo fique pronto, é de apenas cinco anos.

"Nosso inimigo é a morte desnecessária"

“Nós estamos tentando afastar a morte através da prevenção de doenças”, disse Andrew Conrad, chefe da divisão Google X. “Essencialmente, nosso inimigo é a morte. Nosso inimigo é a morte desnecessária. Porque temos a tecnologia para intervir e nós devíamos investir mais energia e esforços nisso”.

Mais de 100 funcionários da Google trabalham atualmente no programa — astrofísicos, químicos e engenheiros elétricos —, mas ainda há muita pesquisa clínica antes que ele veja a luz do dia. Seria uma verdadeira revolução para a medicina se a equipe conseguisse alcançar pelo menos parte de seus objetivos. Porém, só nos resta aguardar e acompanhar os relatórios da pesquisa.

Cupons de desconto TecMundo: