De acordo com informações do site The Information, a Google está trabalhando em novos recursos que poderiam ajudar no atendimento a crianças, tornando legal o uso de seus serviços por elas.

Aparentemente, a empresa, que pede que os usuários compartilhem sua idade quando assinam seus serviços usados no desktop, estaria considerando requerer esse dado também no Android, para direcionar ao usuário recursos compatíveis com sua idade.

O site diz que “a Google tem trabalhando para reformar seus serviços na web para que assim consiga permitir que crianças os usem”. Com a reformulação das exigências legais, a companhia ganharia mais usuários, uma vez que haveria uma ampliação da faixa etária.

Legislação americana

Nos Estados Unidos, há oChildren’s Online Privacy Protection Act (“Ato de Proteção da Privacidade das Crianças Online”, em tradução livre), uma espécie de estatuto de proteção dos direitos da criança quanto ao uso da internet. Ele requer que menores de 13 anos peçam consentimento dos pais para usar serviços online.

No relatório dado pelo The Information, há outros detalhes que mencionam uma espécie de dashboard de monitoramento para os pais verem a atividade de seus filhos na internet e traz à tona novamente o rumor que surgiu no início do ano sobre a Google estar tentando fazer uma versão do YouTube para o público infantil.

Ainda não há uma legislação tão específica sobre crianças fazendo uso da web no Brasil, mas as grandes empresas de serviços online como a Google, o Facebook e o Twitter baseiam seus termos de uso no Children’s Online Privacy Protection Act. Portanto, as mudanças no contrato provavelmente viriam a acontecer para os usuários brasileiros da mesma forma.

Cupons de desconto TecMundo: