Uma prostituta de luxo é a acusada de matar Forrest Timothy Hayes, um executivo da Google de 51 anos, em novembro de 2013 em Santa Cruz, na Califórnia, Estados Unidos.

Alix Catherine Tichelman, 26, teria dopado o executivo e fugido logo em seguida. A polícia dos Estados Unidos acusou Tichelman formalmente apenas nesta quarta-feira (9).

Segundo os policiais, a acompanhante dopou o executivo com heroína, o que o levou a “sofrer complicações médicas”. Como o Hayes não suportou os efeitos da droga no seu corpo, ela saiu do iate onde ambos estavam.

Bebeu vinho antes de fugir

Os vídeos das câmeras de segurança obtidos durante a investigação mostram a acompanhante fugindo do lugar sem prestar socorro. As autoridades policiais também afirmaram que a acusada guardou as seringas e as drogas, abaixou a cortina e ainda bebeu um copo de vinho antes de sair do iate. Além disso, ela também escondeu o corpo do executivo para dificultar a localização.

Alix Catherine Tichelman e Forrest Timothy Hayes

“Ela não teve nenhuma consideração com ele. A única coisa que tentou foi não deixar nenhuma pista", explicou o ajudante do chefe de polícia de Santa Cruz, Steve Clark.

Segundo a polícia, as provas refletem certo grau de culpa de Tichelman, que é superior ao de homicídio involuntário, algo que permite acusá-la de assassinato em segundo grau.

O casal se conheceu através da internet e já teria se encontrado algumas vezes antes do incidente ter acontecido no iate.

Carreira de sucesso

O executivo da Google iniciou a sua carreira na área de tecnologia na Sun Microsystems. Logo em seguida, ele foi para Apple, trabalhando como diretor sênior de operações mundiais da companhia. Depois, foi contratado pela Google para ser diretor do projeto Google X. Heyes era casado e deixou cinco filhos.

Cupons de desconto TecMundo: