(Fonte da imagem: Reprodução/TheGuardian)

Há alguns anos, o Google surgiu como um dos melhores buscadores de toda a internet, sendo que demorou pouco tempo para que ele dominasse esse segmento de mercado. Por conta da eficiência da ferramenta, várias facilidades surgiram, como acesso quase instantâneo a qualquer tipo de informação e até mesmo uma “nova” maneira de se fazer propaganda.

No entanto, você já parou para pensar que o Google talvez não seja tão benéfico assim? Diferentes estudos conduzidos por uma equipe de pesquisadores da Universidade de Harvard apontam que o maior buscador de todo o mundo tem piorado a memória das pessoas — principalmente a de gente mais nova.

Não é só um auxiliar

Por conta disso, foi possível concluir que os jovens de hoje em dia têm uma memória pior do que a de seus pais (isso quando eles tinham a mesma idade das suas "crianças", é claro). Ainda de acordo com as pesquisas feitas, o problema é o costume que a grande maioria das pessoas adquiriu de sempre consultar o Google para questões pequenas, como nomes, fatos históricos e datas, por exemplo.

Dessa maneira, a tendência é a de que o indivíduo deixe de pensar no site como uma ferramenta, colocando-a como uma extensão da sua própria inteligência. Um fato que comprova essa linha de raciocínio é o teste feito em Harvard, com o objetivo de estabelecer como esse tipo de vínculo funciona.

Trabalhando diretamente com a nuvem

Nesse caso, dois grupos de pessoas responderam perguntas relacionadas a um certo conteúdo. Um deles poderia consultar o Google e acreditava que o material estava salvo em um computador, de maneira que o desempenho da própria memória foi consideravelmente mais baixo quando relacionado com o do pessoal que não teve os mesmo “privilégios”.

Além de comprovar a relação entre o Google e a inteligência, por assim dizer, os resultados também apontam que a internet deixa o cérebro mais relaxado. É como se nós utilizássemos a web para jogar arquivos do nosso cérebro para a nuvem, de maneira que seja mais difícil dimensionar a nossa própria capacidade intelectual e de trabalhar com a memória.

Sim, e isso ainda pode evoluir

Toda essa situação é chamada pelos pesquisadores de “Efeito Google” e pode resultar na eliminação da necessidade de guardar certas informações de forma cognitiva ou de compartilhar dados pessoalmente. Contudo, é bastante complicado afirmar coisas como essas, já que estamos falando de um provável futuro e que não tem confirmação e nem data para chegar.

Apesar disso, nós do Tecmundo queremos saber: você acha que a sua memória é um tanto quanto ruim? A culpa disso seria do Google? Para responder, você precisa apenas postar o seu comentário logo abaixo.

Cupons de desconto TecMundo: