Google volta a ser multada por rastrear usuários do navegador Safari

1 min de leitura
Imagem de: Google volta a ser multada por rastrear usuários do navegador Safari
Avatar do autor

No ano passado a Google foi condenada a pagar US$ 22,5 milhões para a Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos. O motivo para isso seria o rastreio de usuários sem autorização no navegador Safari, que é produzido pela Apple. Agora, uma nova multa foi emitida pelo mesmo motivo, obrigando a Google a enviar mais US$ 17 milhões para os cofres norte-americanos.

Entre 2011 e 2012, a Google usou uma brecha no navegador Safari para fazer como que cookies de rastreamento fossem instalados sem a autorização dos usuários — permitindo que informações e dados de navegação fossem armazenados e enviados para servidores da própria empresa de Mountain View. Na verdade não havia nem ao menos informações claras de que isso estaria acontecendo.

Apesar da condenação, a Google ainda não admite que realize a prática. Em uma nota, a empresa informou que “está tomando as atitudes necessárias para remover os cookies de anúncios”, mesmo que eles “não coletem informações pessoais do navegador da Apple”. Mesmo assim, não é apenas a multa que a Google vai ter que  enfrentar a partir de agora.

Segundo informa o Computer World, a Google terá que criar uma página para explicar exatamente como funcionam os cookies instalados por ela. Também será necessário que essa página explique tudo o que é coletado pelo mecanismo, além de informar aos usuários quais são as maneiras de desabilitar esse tipo de rastreio. Não há informações sobre os prazos para que isso entre em vigor.