O gigante Google deu mais um passo importante nesta semana em direção ao desenvolvimento da computação de nuvens. A partir de agora o usuário pode armazenar gratuitamente, a partir do Google Docs, até 1GB de arquivos em um novo espaço chamado Gdrive.

O serviço ainda não está operando com 100% de eficácia e sua liberação para os usuários será gradativa. Caso o usuário necessite de um espaço adicional, pode contratar diretamente junto à empresa ao custo de US$ 0,25 por GB extra.

Limites por arquivos

Muitos podem questionar nesse primeiro momento o espaço destinado gratuitamente de apenas 1GB. Um concorrente direto, o SkyDrive da Microsoft, disponibiliza até 25 GB sem cobrar nenhum centavo por isso. Onde o gigante Google estaria querendo chegar com isso?

A tendência é que o espaço seja ampliado à medida que haja necessidade ou que o serviço se torne popular, a exemplo do que a empresa fez com o Gmail à época do seu lançamento. O espaço em disco que crescia a cada dia foi uma das novidades da época e hoje a caixa de emails da ferramenta é ilimitada.

Hospede arquivos longe do seu HD físico.

Se você já utiliza o Google Docs e tem muitos documentos armazenados nele pode ficar tranquilo que os arquivos atuais não somam na contagem de 1GB. Apenas os arquivos que você enviar via upload é que irão compor essa quantidade.

Outro limite imposto é o tamanho máximo de cada arquivo: apenas 250 MB. Dessa forma, o Google impede que o seu Gdrive se transforme em um espaço para hospedagem de filmes e outros arquivos populares em servidores que atuam com pirataria.

Os limites atuais nos servidores do Google para envio de arquivos são os seguintes:

500KB para arquivos de texto (.txt, .doc, .docx, .rtf, .odt e .sxw);

1MB para planilhas (.csv, .xls, .xlsx e .ods);

10MB para apresentações (.ppt e .pps) e PDFs.

Computação de nuvens

No ano passado o portal Baixaki já antecipou a tendência da computação de nuvens, que foi confirmado numa breve análise da versão teste do Chromium OS. Neste ano, durante a CES 2010, diversos produtos apresentados também apontam para o mesmo caminho: são TVs, players de Blu-rays, notebooks, smartbooks, netbooks, tablets e celulares cada vez mais preocupados em permitir ao usuário acessar suas informações em qualquer lugar onde esteja.

 

O futuro está nas nuvens?

Sendo assim é natural que nos próximos anos apareçam uma série de serviços do gênero, proporcionando ao usuário armazenar quantidades cada vez maiores de informação. No caso do Google e da Microsoft, uma das vantagens para o usuário é o fato de ele poder compartilhar certos arquivos com outras pessoas, transformando o Gdrive ou o SkyDrive em uma plataforma colaborativa.

Disponibilidade do serviço

Oficialmente o serviço foi divulgado no dia 12 de janeiro. No entanto, suas funcionalidades ainda não estão plenamente implementadas e alguns usuários ainda não têm acesso ao envio de determinados tipos de arquivos, como áudio ou vídeos.

Como mencionamos, a liberação das novas possibilidades de upload de arquivos será gradual e, aos poucos, irá contemplar todos os usuários dos serviços do Google. Para checar se sua conta já está habilitada basta ir até o Google Docs, clicar na opção “Upload”, e tentar enviar algum arquivo que não esteja entre os permitidos atualmente.

 

Maior capacidade de processamento auxiliará a computação de nuvens.

Em nossos testes ainda não foi possível enviar arquivos de formatos como MP3 ou AVI. No entanto, funções como essas devem estar disponíveis em breve para todos os usuários. Caso você também não consiga enviar, não desanime. É só uma questão de tempo para a nova função estar habilitada

O que você achou desta novidade do Google? O espaço de armazenamento de 1GB é suficiente para você? Participe com seu comentário.

Cupons de desconto TecMundo: