É notório que o Google é o buscador mais eficiente. Mas você sabe tirar total proveito do mecanismo de pesquisa oferecido? Há alguns métodos específicos para incrementar a procura, tornando-a mais eficaz.

Antes de qualquer coisa é preciso ter em mente que o critério básico para a existência de comunicação é a compreensão, e não a expressão. Isso quer dizer que, mesmo que você domine determinado idioma, não conseguirá se comunicar com alguém que não o saiba (a menos, é claro, que seja feito uso de um tipo de comunicação não-verbal – a linguagem dos sinais, por exemplo). Perguntar “Que horas são?” para um chinês não faria o menor sentido, apesar de ser uma frase perfeitamente elaborada dentro das normas formais da língua portuguesa; apontar para o pulso, por outro lado, provavelmente teria melhor resultado.

A partir daí fica mais fácil entender como é feita a comunicação com o Google: não basta você dizer o que busca, você tem que pedir ao Google de uma maneira que ele entenda. Vamos aprender a conversar com ele?

1. As palavras-chave: o que são e para que servem

Palavras-chave seriam algo análogo ao sujeito, ao núcleo de uma frase. São as principais palavras que você deve utilizar na hora de fazer sua pesquisa. Ao invés de ‘quero um programa para edição de imagens’, você pode simplesmente digitar ‘programa edição imagens’.

palavras-chave


2. Por que não utilizar frases?

As frases podem ser a melhor forma de nos expressarmos, mas não são (nem de longe) úteis para conversar com o Google. Isso porque cada uma das palavras digitadas seria levada em consideração na busca, o que entupiria a resposta com resultados inúteis. Ao invés disso é melhor restringir a pesquisa às palavras-chave; resumir é o melhor caminho.

3. Evite usar termos genéricos

Imagine-se chegando a uma loja de artigos esportivos e pedindo ao vendedor: ‘Quero uma bola’. Então ele responde: ‘De que tipo?’, e você rebate: ‘Redonda’. Ele não fará a mínima idéia do que você quer (bom, pelo menos saberá que você não quer uma de futebol americano). A mesma coisa serve para o Google: se você usar palavras muito genéricas (como ‘Windows’, por exemplo), o buscador retornará tantos resultados que será difícil você achar, em meio a todos eles, o que realmente quer. Seja específico.

4. Aumente seu vocabulário e use palavras adequadas

Suponha que você esteja indo viajar e queira saber quão congestionada está a rodovia que você irá pegar. Você digita no Google: ‘medidor de tráfego’ e recebe, como resposta, dezenas de medidores da velocidade de sua internet. Se você substituísse a pesquisa por ‘medidor de trânsito’, por exemplo, teria resultados mais aproximados daquilo que realmente busca. Amplie seu vocabulário de sinônimos.

5. ‘Infelis’? Você quis dizer: Infeliz

O mecanismo ‘Você quis dizer’ do Google é um aliado valioso, pois redireciona as buscas baseado em um sistema de importância e de grafia correta. Ele coloca no topo dos resultados os sites cujo principal conteúdo seja o termo digitado (ao invés de apenas incluir todos os que contêm a palavra), assim indicando a você as páginas que mais provavelmente irão satisfazer seu anseio. Além disso, ele identifica palavras digitadas de forma errônea e as corrige na hora de exibir os resultados.

6. Resultados 1-10 de aproximadamente 504.000.000

Fique atento ao número de resultados: pesquisas muito amplas tendem a gerar uma quantidade quase infindável deles, reduzindo (e muito) as chances de você encontrar o que deseja. Caso o número de resultados exibidos seja muito extenso, refine a busca para alinhá-la às especificidades daquilo que você quer.

7. Complementos do Firefox: use e abuse

O Mozilla Firefox é um excelente navegador, e um dos motivos para isso é seu sistema de Google + Firefox = boa!complementos. Há diversos que se integram com o Google, melhorando e facilitando ainda mais suas pesquisas. Ferramentas como Googlepedia, Google Desktop, Google Hacks e Inquisitor são muito úteis e realmente podem fazer a diferença, aplicando desde filtros até recursos de autocompletar nas buscas.



Legal! Acho que aprendi.

Agora que você está mais familiarizado com o Google, que tal relembrar os seus principais comandos com o artigo Saiba procurar no Google da melhor forma? Separamos alguns vídeos interessantes para mostrar, na prática, como funcionam essas sintaxes.

 

Excluindo da busca os termos indesejados:

 

 

As aspas, suas amigas:

 

 

Pesquise apenas seu site favorito: