A equipe responsável pela Google Play está com um grande problema nas costas: usuários falsos estão roubando criações (livros e textos) e vendendo obras originais com outros nomes. Quem alertou sobre o caso foi o The New York Times, na coluna The Haggler. Para ilustrar o caso, a autora Rodin Landa mostrou que teve a capa e o nome do próprio livro alterados por outras pessoas — que também passou a vender "por fora" a obra.

"Meus royalties despencaram, o que afeta a minha capacidade de doar o dinheiro para bolsas de estudos de meus alunos universitários", comentou Landa, dizendo que uma "farsante" chamada Jazmin Bonilla recebe o crédito pelo ebook "Graphic Design Solutions", que foi alterado.

O TNYT descobriu que a Google Play estava oferecendo mais de 100 versões piratas de best-sellers por US$ 2,11 (R$ 7, em conversão direta). "São claramente cópias inferiores, com falta de formatação, capas genéricas ou desatualizadas, e outros problemas", diz o artigo.

O jornal entrou em contato com a Google para entender a razão e a facilidade de esse tipo de pirataria acontecer. Há 18 meses, a loja de apps está vendendo ebooks auto publicados — é um modelo em que o autor faz o upload da própria obra para vender no site. Em maio, a companhia parou de registrar novos autores porque problemas como este já estavam surgindo. Agora, é sabido que várias contas já foram banidas, e o programa de autores pode ser reiniciado.

Sobre a questão de Robin Landa, a Google comentou que "medidas estão sendo tomadas para contornar esses problemas".

Atualização: A Google nos enviou uma declaração sobre o assunto: “Direito autoral é uma prioridade para a Google Play. Nós agimos rapidamente quando recebemos uma reclamação de quebra de direito autoral, que pode ser preenchida por qualquer autor aqui. Além disso, estamos melhorando nossos sites constantemente para oferecer a melhor experiência".

Você compra livros na Google Play? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: