(Fonte da imagem: Reprodução/DailyMail)

No mês passado, a Google adicionou um recurso no aplicativo da Play Store que proporciona maior segurança e evita compras acidentais (ou não) em aplicativos por crianças. Mas isso não foi o suficiente para evitar que um garoto inglês, de apenas 10 anos, fizesse uma dívida de 409 libras (cerca de R$ 1.500) comprando extras e jogo na loja da Google.

O pesadelo começou quando Samantha, a filha mais velha de Gary Hooper, comprou um aplicativo por meio do Google Play para seu irmão – que tem dificuldades de aprendizagem –  por apenas 2 libras. A partir daí, o garoto efetuou compras seguidas que chegaram a 64 libras por vez.

A família só percebeu o que tinha acontecido quando extrato bancário de Samantha mostrou o os gastos na loja da Google. Hooper um entregador de 53 anos e pai adotivo do menino, pagou a dívida à filha, mas diz ter ficado muito nervoso e frustrado ao tentar entrar em contato com a empresa: “Eu só queria pedir um reembolso, porque eu não podia acreditar o quanto dinheiro tinha sido cobrado por jogos baratos de criança”.

Extrato bancário da filha de Hooper mostrando os gastos na loja da Google (Fonte da imagem: Reprodução/DailyMail)

Hooper ainda tenta um reembolso

Hooper, contudo, não considera o filho adotivo o culpado. Para ele, a empresa poderia dificultar esse tipo de ação por parte das crianças e evitar situações como essa. Ele diz estar enfrentando dificuldades para entrar em contato com a empresa, cujos números fornecidos apontam sempre para sites da organização.

Frustrado por não conseguir obter o reembolso, desabafa: "Eu entendo que o Google quer ganhar dinheiro, mas, com os milhões de libras que eles ganham, poderiam fazer algo para não tirar dinheiro de pessoas trabalhadoras como nós".

Em nota, a Google afirma que já existem ferramentas para impedir compras por crianças, além de implementar sistemas de avisos por email para cada gasto efetuado em sua loja. Outra característica dos tablets com Android é a possibilidade de se criar perfis separados para cada usuário, restringindo o acesso a certos aplicativos, como a Google Play Store.

Evite ser pego de surpresa você também

Se você comprou um tablet com o sistema Android para seus filhos, alguns cuidados devem ser tomados para evitar situações como a de Hooper. Seguindo a dica da Gigante de Buscas, crie perfis separados para cada filho, restringindo o acesso ao app da Play Store. Você pode fazer isso seguindo os passos do nosso tutorial: Android: como criar um perfil restrito.

Se o tablet possui uma versão desatualizada do sistema que não possui esse recurso, é possível usar senha para restringir compras, tanto no aplicativo da loja quanto em programas (in-app purchase). Para isso, acesse o tutorial: Android: como proteger compras na Google Play com senha.

Outra alternativa é simplesmente remover as informações de cartão de crédito usadas para efetuar compras de programa pelo aplicativo ou site da loja. Para fazer isso, acesse o nosso tutorial: Google Play: como remover o cartão de crédito usado na loja

Cupons de desconto TecMundo: