O Google anunciou na última terça-feira (8) que vai encerrar as atividades da ferramenta Map Maker, que permitia realizar edições no banco de dados do Google Maps. Após o fim das atividades do aplicativo, marcada para março de 2017, elas vão passar a ser oferecidas diretamente no sistema de mapas desenvolvido pela companhia.

Os recursos oferecidos anteriormente vão ser incorporados à iniciativa Local Guides, que recompensa pessoas que ajudam a aprimorar dados sobre mapas específicos a uma região. Entre os “prêmios” dados pela companhia a esses usuários está o acesso a opções em fase Beta e mais espaço para armazenar arquivos no Drive.

O mau uso da ferramenta causou uma série de polêmicas no passado

O Map Maker foi lançado em 2008 com o intuito de permitir a criação de mapas de áreas rurais às quais as ferramentas do Google falhavam em ter um bom acesso. Com o tempo, milhões de usuários se juntaram ao sistema, passando a moderar sugestões de mudanças e assegurar que as informações disponíveis estavam corretas.

No entanto, nem sempre as coisas funcionaram conforme o previsto: em 2015, um usuário do Map Maker usou suas ferramentas para mostrar um robô do Android urinando sobre o logotipo da Apple. Isso fez com que o software fosse fechado temporariamente e a empresa responsável tivesse que mudar suas práticas de moderação, em um dos primeiros sinais da mudança mais ampla divulgada esta semana.

Cupons de desconto TecMundo: