Ampliar (Fonte da imagem: Reprodução/Catwig)

Para boa parte do público, o Google Glass parece uma tecnologia avançada e misteriosa. Mas o fato é que, seja lá o que o faz funcionar, ninguém teve coragem de colocar em risco a integridade de um aparelho de quase 2 mil dólares para descobrir a resposta.

Isso até que o site Catwig cedeu à tentação de descobrir o que há dentro do Glass e o abriu. O resultado é bem diferente do que muitos podem imaginar. No lugar de uma tecnologia anos-luz à frente do que vemos normalmente, o aparelho traz um processador dual-core TI OMAP4430, um touchpad Synaptics personalizado para o dispositivo e uma bateria de lítio.

Vale avisar que, segundo o site, o processo de “abrir” um Glass (que foi descrito em detalhes pelo grupo) não é exatamente complicado. Basta um pouco de habilidade e cuidado, já que não há peças que sejam danificadas naturalmente no processo, para poder desmontá-lo e remontá-lo perfeitamente – ou quase, já que a estrutura externa sofreu alguns danos cosméticos.

A jornada para ter um Glass

Está bem, já sabemos como o Glass é por dentro. Mas você já parou para pensar como é o processo de adquirir um? Pois isso também foi um dos pontos abordados pelo pessoal do Catwig. Se você pensava que comprar um desses aparelhos era simples como passar em uma loja de eletrônicos, saiba que não poderia ser mais diferente.

Tudo começa com uma reunião que deve ser combinada entre você e o pessoal da Google; chegando lá, é preciso passar por um treinamento de quase uma hora, que ensina como usar e configurar o aparelho nos mínimos detalhes. Só então há como escolher uma das cinco cores do dispositivo, e, com isso, comprá-lo oficialmente.

Cupons de desconto TecMundo: